Marcopolo, de Caxias, já exportou 613 talentos em nove anos - Colunas do Caixa-Forte - Economia: impostos, financiamentos e mais - Pioneiro
 
 

Caixa-Forte21/05/2019 | 16h00Atualizada em 21/05/2019 | 16h00

Marcopolo, de Caxias, já exportou 613 talentos em nove anos

É uma oportunidade que possibilita experiência profissional e cultural, além de ampliar o conhecimento dos funcionários

Marcopolo, de Caxias, já exportou 613 talentos em nove anos Rodrigo Estevan/divulgação
Rodrigo Alves também responde pela gerência regional da Marcopolo para os mercados da Ásia, e fica sediado em Kuala Lumpur, na Malásia Foto: Rodrigo Estevan / divulgação

A Marcopolo faz o caminho inverso da prática de multinacionais que trazem executivos de fora para atuar no Brasil. A fabricante de ônibus exporta talentos desde a matriz em Caxias do Sul para o mundo. Aliás, a expatriação faz parte do plano de carreira na empresa.

Dois exemplos são apontados pela indústria. O mais recente case é do diretor de Recursos Humanos, Thiago Deiro, que desde abril assumiu a posição de CEO da Volgren, unidade da Marcopolo na Austrália e maior fabricante de ônibus da Oceania. Rodrigo Alves também responde pela gerência regional da Marcopolo para os mercados da Ásia, e fica sediado em Kuala Lumpur, na Malásia.

Os números impressionam: de 2010 até o momento, a companhia já expatriou 613 profissionais aos mais diferentes postos e atividades para 16 países, como África do Sul,  Argentina, Austrália, Chile, China, Colômbia, Egito, Emirados Árabes, Índia, Malásia, México, Peru, Portugal, Rússia e Uruguai.   

 É uma oportunidade que possibilita experiência profissional e cultural, além de ampliar o conhecimento dos funcionários.

Leia mais:

 Mais um espaço de inovação e criatividade na Serra

 Empresa da Serra inaugura mais avançado sistema de cortes de chapas do mundo

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros