Com vendas estagnadas na Páscoa, supermercados miram, agora, o Dia das Mães - Colunas do Caixa-Forte - Economia: impostos, financiamentos e mais - Pioneiro
 
 

Caixa-Forte22/04/2019 | 20h58Atualizada em 22/04/2019 | 20h58

Com vendas estagnadas na Páscoa, supermercados miram, agora, o Dia das Mães

Por ter um apelo afetivo, a data concentra celebrações em família, incrementando a venda de carnes para churrasco, sobremesas e bebidas, além de pequenos presentes, como flores, bombons e vinhos

Com vendas estagnadas na Páscoa, supermercados miram, agora, o Dia das Mães Tadeu Vilani/Agencia RBS
Mesmo com a exposição mais cedo das parreiras de ovos, o consumidor deixou a escolha dos itens de Páscoa para a última hora Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

Sai de cena a Páscoa, entra o Dia das Mães.

A segunda melhor data de vendas do ano para o setor – só perdendo para o Natal – mobiliza os lojistas a reforçarem os estoques tanto em lojas de vestuário, joias, perfumes quanto em supermercados.

Esses últimos têm um motivo extra para redobrar os ânimos, uma vez que as expectativas positivas que antecediam à data do Coelho não se confirmaram em números. Ou seja, não houve crescimento nas vendas de Páscoa em relação a 2018. Apenas estagnação, revela o balanço da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas). 

Obviamente que esse é o termômetro geral dos negócios nas gôndolas gaúchas, mas não espelha o comportamento de todos os empreendimentos. Há mercados que viram as vendas dispararem, outros perceberam apatia nos carrinhos. O resultado nos caixas também está condicionado a variáveis como promoções, localização e público-alvo.

Agora, as energias já são direcionadas ao domingo de 12 de maio, Dia das Mães, quando a projeção do setor é de incremento de 2%, uma previsão tímida (ou realista?). 

Por ter um apelo afetivo, a data concentra celebrações em família, incrementando a venda de carnes para churrasco, sobremesas e bebidas, além de pequenos presentes, como flores, bombons e vinhos. 

Os supermercados do RS esperavam vendas vitaminadas na Páscoa, em função da data festiva mais tardia, fazendo com que o frio fosse um aliado ao consumo de chocolates. 

– Os supermercados adquiriram 5% mais ovos de chocolate do que em 2018, e a sobra desse produto foi na mesma proporção. Alguns estabelecimentos ainda vão comercializar esses itens nos próximos dias, dependendo de negociações com os fornecedores – explica Longo, não descartando promoções.

Outra constatação: mesmo com a exposição mais cedo das parreiras de ovos, o consumidor deixou a escolha dos itens de Páscoa para a última hora. Tanto que a quinta-feira pré-feriado foi o melhor dia de vendas de abril para o setor. 

Apesar do crescimento zero no feriado, alguns produtos ganharam evidência no carrinho do consumidor (veja abaixo os que mais cresceram).  

No CARRINHO

Pescados - 5%

Caixas de bombom - 4%

Carne para churrasco - 4%

Bebidas - 3,5%

Leia mais:

 Cantina da Serra responde por 10% das vendas de espumantes nacionais

 Formolo Materiais p/ Construção, de Caxias, está à venda

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros