"O momento é de otimismo, mas com cautela", diz diretor-executivo da Sicredi Serrana - Colunas do Caixa-Forte - Economia: impostos, financiamentos e mais - Pioneiro
 
 

+ Serra18/03/2019 | 07h15Atualizada em 18/03/2019 | 07h15

"O momento é de otimismo, mas com cautela", diz diretor-executivo da Sicredi Serrana

Cooperativa de crédito projeta crescimento de 20% e a abertura de duas novas agências na região em 2019

"O momento é de otimismo, mas com cautela", diz diretor-executivo da Sicredi Serrana Alesi Ditadi/divulgação
Odair Dalagasperina, 48 anos, é diretor-executivo da Sicredi Serrana Foto: Alesi Ditadi / divulgação

Nascida em Carlos Barbosa, em 1985, por iniciativa de 25 associados ligados à cooperativa Santa Clara, a Sicredi Serrana surgiu como ferramenta para facilitar o acesso de produtores rurais a recursos para financiamento das atividades no campo. 

Fazendo florescer a semente da primeira cooperativa de crédito da América Latina – a Sicredi Pioneira, surgida  há 116 anos, em Nova Petrópolis –, o braço da marca Sicredi em Carlos Barbosa criou raízes e hoje está presente na Serra Gaúcha e no Vale do Caí, totalizando 23 municípios, 31 agências e 105 mil associados, o que representa 43% das empresas e 23% das pessoas físicas da região de atuação. Em 2018, a unidade escreveu um capítulo memorável, com crescimento de 19,36% em resultado e 12 mil novos sócios. Os resultados atingiram R$ 61,3 milhões, R$ 10 milhões a mais do que em 2017,  avanço de 20%.

– Atualmente, a Sicredi Serrana é a principal instituição financeira da região no que se refere a apoio a investimentos, crédito comercial e também no agronegócio – salienta Odair Dalagasperina, 48 anos, diretor-executivo da Sicredi Serrana.

Formado em  Administração de Empresas, o executivo é pai de Luisa, 11 anos. A seguir, entrevista concedida ao Pioneiro:

Conte um pouco da história da Sicredi Serrana.

A história da Sicredi Serrana começou a ser escrita há mais de 100 anos, quando surgiu o Sistema Sicredi, primeira instituição financeira cooperativa do Brasil. Tudo começou em Nova Petrópolis, com a nossa coirmã, a Sicredi Pioneira. Esse trabalho cresceu e resultou em uma grande rede de conexões espalhada pelo Brasil, interligando agências de atendimento, associados, fornecedores, entidades, poder público e empresas. Hoje, mais de 116 anos depois, o Sistema Sicredi está presente em 22 Estados, em 1.238 cidades, com mais de 1,7 mil pontos de atendimento físico, além de atendimento virtual, e 4 milhões de associados no Brasil. 

A empresa tem uma grande força no interior.

Um indicador interessante, mostrando a força do Sistema Sicredi no Rio Grande do Sul, é que, se considerados os municípios com população inferior a 100 mil habitantes, 40% da população economicamente ativa são nossos associados. Outro ponto muito relevante é a inclusão financeira: em 99 municípios do Estado, a Sicredi é a única instituição financeira presente, fomentando o desenvolvimento regional. A Sicredi Serrana faz parte desse contexto, sendo uma das 116 unidades desse sistema. À frente desse projeto, destaco as figuras do idealizador e orientador da Sicredi Serrana, Agenor Dalcin, e de Aldo Zilio, nosso primeiro presidente.

Qual a estrutura hoje?

A Sicredi Serrana tem mais de 400 colaboradores e ultrapassou a marca de 105 mil associados. No que diz respeito a funcionários, o indicador mais expressivo que tivemos em 2018 foi a pesquisa de Clima Interno, medida entre os colaboradores, que mostrou uma favorabilidade de 86% quanto à satisfação de trabalhar na cooperativa. Segundo a consultoria que elabora o questionário, esse indicador coloca a Sicredi Serrana no rol das 10% melhores empresas para se trabalhar. Quando a palavra vai para os associados, o cenário reportado é igual. A ferramenta utilizada pela Sicredi Serrana para medir a satisfação de seus sócios, conhecida como NPS (Net Promoter Score, do inglês Saldo Líquido dos Promotores), apontou índice de 77%. Quando esse dado ultrapassa os 75%, significa que a empresa atingiu nível de excelência, fato que comemoramos muito, pois a Sicredi Serrana só existe em função de seus associados.

Quais os resultados de 2018?

 A carteira de crédito cresceu 43,5%, com ênfase na carteira de crédito comercial, que avançou 59%, o que a posiciona como a principal instituição financeira também nesse segmento. A inadimplência registrada foi de apenas 0,57%. Na contabilidade de 2018, a cooperativa ainda comemorou o acréscimo de 14% no número de ativos, chegando a R$ 2,05 bilhões. Também foi o período que contabilizou recorde de novos associados em um único ano.

O momento é de cautela ou de otimismo? 

Saímos de um cenário econômico de extrema cautela, que marcou os últimos três anos, com resultados negativos no âmbito nacional; passamos por uma maior estabilidade em 2018, com leve crescimento de 1,1% no PIB; e entramos em 2019 com um cenário de otimismo. Percebemos os empresários da região retomando projetos na gaveta e buscando recursos para investir – exemplo disso é o setor da construção civil. Há um movimento de retomada. Outro pilar importante é o agronegócio, que deve continuar em sua trajetória de expansão. O momento é de otimismo, mas com cautela: a retomada de nossa economia depende significativamente de reformas implementadas pelo governo (previdenciária, por exemplo), e também do cenário econômico mundial.

Existe um setor que tenha se destacado em termos de financiamento na Sicredi Serrana? 

Sim, o agronegócio. Em 2018, a cooperativa tornou-se a principal instituição financeira de crédito comercial e de crédito para o agronegócio em sua região de atuação. Na nossa região, o crédito para o agronegócio é de R$ 1,05 bilhões – desse total, 46% foram empréstimos disponibilizados pela Sicredi Serrana.

Qual a previsão de crescimento para 2019?

Com base nesse cenário, a expectativa para 2019 é crescer na ordem dos 20%. Esse percentual está calcado nas projeções de crescimento do PIB, na casa de 2%, algo que há muito tempo não se vê no país, manutenção da taxa de juros, facilitando novos investimentos, em nossa percepção de retomada do consumo e dos investimentos por conta do empresariado.

Quais as estratégias para alavancar o desempenho?

Para facilitar esse processo, há um movimento que se chama ‘Fisital’: uma combinação que extrai o melhor dos avanços digitais, sem abrir mão do que só a relação próxima e pessoal pode oferecer. Além de resultados, nossa atuação tem forte compromisso social. 

A crise dos últimos anos impactou na cooperativa?

Mesmo os anos difíceis, de crise, foram bons para o crédito e em outros negócios, como a captação de recursos. Nos últimos três anos, a Sicredi Serrana dobrou a participação de mercado. Hoje, 25% do movimento da região é através do Sicredi. Nos reinventamos na forma de fazer negócios, apoiar nosso associado e crescer juntos.

Quais os planos de expansão?

Nos últimos três anos, houve investimentos na inovação do ambiente físico em 20 agências, um movimento que terá continuidade em 2019. Concluiremos a atualização do novo conceito da marca em todas as agências, e a inauguração de duas unidades, uma em Veranópolis e outra em São Marcos. Em 2020, mais duas unidades estão previstas. No segmento virtual, os investimentos estão focados no aplicativo Sicredi Mobi e Internet Banking. Também potencializaremos o atendimento ao associado que busca uma experiência 100% digital através do Woop, que já está disponível em todo o território nacional. 

Leia mais:

 Móveis de empresa da Serra levam selo de origem

 Serra Gaúcha figura no ranking das "Marcas de quem decide"

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros