Frei Jaime: são as diferenças que tornam a vida empolgante - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Opinião12/11/2020 | 09h37Atualizada em 12/11/2020 | 09h37

Frei Jaime: são as diferenças que tornam a vida empolgante

A padronização, quando se trata de imposição, pode abafar incríveis manifestações de ternura e de singularidade existencial

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

O vento está sempre soprando, mesmo não sabendo qual a direção. Até mesmo quando tudo está quieto, o ar continua presente. O balanço das folhas permitem a compreensão de que o ar está em movimento, transformando-se em vento. Todos gostam de uma brisa suave, pois ela permite que a respiração seja leve.

"O vento é o mesmo, mas sua resposta é diferente em cada folha." (Cecília Meireles)

O vento sempre será o mesmo, a sua velocidade, porém, pode alterar de um lugar para o outro. No entanto, cada folha e cada ramo têm diferentes reações, perante o sopro do vento. Na vida de cada pessoa, mesmo que o vento seja o mesmo, a sensação também varia. Na verdade, as reações humanas estão repletas de diferenças e compreensões.

Quer ler mais textos do Frei Jaime?
Clique para conferir textos dos colunistas do Pioneiro  

O sentir nunca se iguala, quanto muito se assemelha. São as diferenças que tornam a vida empolgante e, ao mesmo tempo, desafiadora. Numa árvore, com centenas e milhares de folhas, não é possível encontrar duas idênticas. O intelecto até assimila as diferenças, mas a prática parece caminhar para outra direção. Mesmo que seja inconsciente, a grande maioria tenta padronizar o ser do outro, a partir do próprio entendimento. É comum querer que os demais sigam um único jeito de ser, mesmo que nem sempre a proposta seja das melhores. 

A padronização, quando se trata de imposição, pode abafar incríveis manifestações de ternura e de singularidade existencial. As folhas, por serem diferentes, balançam cada qual do seu jeito, apesar de ser o mesmo vento que as movimenta. Outros ventos alcançam nosso coração, para embalar alguns sentimentos e levar embora determinados pensamentos. 

É maravilhoso ser visitado por diferentes ventos, pois existe uma necessidade de arejar a solidão e o medo que, nos últimos, foram insistentes. Como é bom ser uma folha saudada pela mansa brisa de cada amanhecer.

Leia também
Em fase de acabamento, Estação Férrea de Farroupilha deve ser inaugurada em dezembro
Na Cozinha: aprenda a fazer bolo de banana com calda de café
Saiba qual é a plaquinha que ganhou espaço no comércio caxiense com a pandemia

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros