O barato de pertencer:  clubes de assinatura unem consumo e estilo de vida para ganhar ainda mais adeptos na pandemia - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Comportamento25/09/2020 | 17h29Atualizada em 25/09/2020 | 17h29

O barato de pertencer:  clubes de assinatura unem consumo e estilo de vida para ganhar ainda mais adeptos na pandemia

Fãs contam o que mais curtem na experiência de receber kits mensais de livros, bebidas, comidas e outros produtos

O barato de pertencer:  clubes de assinatura unem consumo e estilo de vida para ganhar ainda mais adeptos na pandemia Porthus Junior/Agencia RBS
Luiz Felipi Dias e Luana Tedeschi são assinantes e fãs dos kits enviados pelo Clube do Malte, com cervejas, copos e revistas Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Pertencer a um clube pode ter diversos significados. Para adultos, representa sua inserção num meio específico e poder desfrutar de benefícios e privilégios com alguma sensação de exclusividade. Para crianças, ser parte da turma é sentir-se incluído por uma afinidade. Para a maioria dos que aderem aos cada vez mais populares e diversos clubes de assinatura, a motivação parece ter mais a ver com o viés da infância, porém não importando mais a idade, e sim as sensações que se experimenta ao receber em casa o produto ou objeto preferido.

Moradores do bairro Salgado Filho, em Caxias do Sul, Luana Tedeschi e o marido, Luiz Felipi Dias, são assinantes do Clube do Malte, loja virtual voltada para as cervejas especiais e importadas. Desde junho de 2015, a vendedora de peças automotivas e o programador recebem a cada mês um kit com duas cervejas, um copo e uma revista sobre o mundo cervejeiro produzida para os assinantes. Motivado pelo começo da onda artesanal, o casal apurou o paladar e se tornou apreciador e conhecedor de rótulos e estilos, tendo no prazer da degustação um estilo de vida:

– A gente deixou de “beber para ficar bêbado” para realmente apreciar os sabores, as nuances de cada ingrediente, o toque de alguma fruta, o tipo de tostagem. Foi despertando a nossa curiosidade conforme fomos conhecendo um pouco mais, e também passamos a frequentar eventos e festivais de cerveja. O clube nos fez mergulhar nesse universo e ver o quanto ele é muito maior do que imaginávamos – destaca Luana, que é fã das Witbier, enquanto o marido prefere as APAs.

Luana ressalta que outra parte legal da experiência é a surpresa, fator que faz a expectativa nos dias que antecedem a chegada do kit ser tão prazerosa quanto recebê-lo e abri-lo para experimentar as novidades.

– Todo mês a gente acaba se surpreendendo com um estilo diferente, um rótulo de algum país que não tínhamos experimentado. Também adoramos colecionar os copos. Já temos mais ou menos uns 50 – conta.

Se a segunda metade desta década pode ser considerada o boom dos clubes de assinatura, os últimos dois anos marcam a fase de maior diversificação desse tipo de serviço. Uma reportagem do caderno +Serra, publicada em junho do ano passado, mostrava como empreendedores de diversos segmentos na região passaram a apostar nessa modalidade, oferecendo kits que vão de vinhos finos e espumantes a produtos coloniais e até gravatas. O barato está na surpresa, na sensação de exclusividade e, como veremos mais adiante, na confiança.

Ponto para a comodidade

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 25/09/2020. Raquel Zilio case da matéria sobre participantes de clubes de assinatura. E ela é assinante de uma cesta de produtos saudáveis que recebe todo mês. (Porthus Junior/Agência RBS)<!-- NICAID(14601341) -->
Raquel Zilio é assinante dos produtos saudáveis enviados pela AllpsFoto: Porthus Junior / Agencia RBS

Durante a pandemia de Covid-19, outro fator que passou a contar ainda mais foi a comodidade. No período em que muitas lojas estão fechadas, e as pessoas menos propensas a sair de casa, poder receber suas comidas, bebidas ou qualquer tipo de produto na porta de casa foi um dos fatores para esse ramo crescer na casa dos 25% ao mês no Brasil durante a pandemia, de acordo com estudo da plataforma de pagamento online Vindi

Sócia da Allps, clube caxiense que entrega uma cesta de produtos com foco em alimentação saudável, e que teve aumento de 30% no número de assinantes desde o começo da pandemia, Camila Colombo explica que um fator é considerar, dentro de um mesmo público, necessidades distintas. No caso, pessoas com intolerância à glúten e lactose ou em dieta de restrição de açúcar. Outro é o cuidado com a higiene, especialmente na pandemia.

– Tomamos precauções como a divisão maior da equipe na montagem dos kits em salas separadas, uso de máscaras e de álcool gel, e estivemos abertos para ouvir as dúvidas dos clientes. Logo no início da pandemia tivemos alguns cancelamentos, por perda de emprego ou suspensão de salários, mas a maioria já voltou a assinar e ainda conseguimos ter um crescimento que nos deixou muito felizes – comenta Camila.

Uma das primeiras assinantes das cestas elaboradas pela Allps, a analista comercial Raquel Zilio conta que ela e o marido assinaram a cesta para experimentar, e hoje disputam mês a mês quem vai abrir primeiro a cesta e experimentar os produtos, que variam a cada envio.

– Quando resolvi assinar foi pela curiosidade de conhecer uma opção que estava surgindo. Mas para ter me mantido assinante esses três anos é porque realmente fez diferença na minha vida. A expectativa pelo que elas vão descobrir e nos mandar é muito gostosa, principalmente porque elas prezam pela qualidade e porque tu percebes o carinho com que elas fazem – comenta.

Assim como o casal que abre a reportagem, Raquel e o marido, Marcell Leite, também passaram a descobrir novos sabores e produtos que chegaram pela cesta e dos quais viraram consumidores:

– Praticamente todos os meses descubro algo que depois passo a comprar no mercado, como as balas de vitamina C, o arroz com cenoura, linhaça ou chia e as barras de cereais mais naturais, como a Nuts, que eu dificilmente compraria antes de descobrir pela cesta, por achar que seria igual àquelas que só parecem naturais. Como os produtos raramente repetem, é bacana esse foco em permitir ao assinante experimentar coisas diferentes.  

Curadoria que amplia os horizontes 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 23/09/2020 - Franciele Fernandes é assinante de um clube de livros. (Marcelo Casagrande/Agência RBS)<!-- NICAID(14599279) -->
Franciele Fernandes com a coleção de livros e alguns mimos enviados pela TAGFoto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Palavra recorrente no glossário dos clubes de assinatura, a curadoria é destacada como uma das partes principais da experiência. Os assinantes confiam ao curador escolher aquilo que ele irá receber para enriquecer seu conhecimento. Para a assistente social caxiense Franciele Fernandes, entrar para o principal clube de assinatura de livros do país, a TAG, na modalidade Inéditos (que oferece best-sellers ainda não lançados no Brasil), foi uma forma de se aprofundar no universo literário, conhecendo novos autores.

–  A cada mês é uma surpresa positiva. Foi pelo clube que pude conhecer obras que me fascinaram, como Nascidos do Crime, do Trevor Noah, Os Sonhadores, da Karen Thompson Walker, que se passa em uma epidemia, e Carrossel Sombrio, livros de contos do Joe Hill, que é filho do Stephen King  – exemplifica. 

Receber um livro por mês também fez Franciele organizar melhor o tempo, assumindo o compromisso de concluir a leitura até a chegada do próximo kit, onde o livro é sempre acompanhado de algum mimo relacionado à leitura. Como ela diz, “um afago’. 

A moradora do bairro Esplanada também curte as possibilidades de interação, que aumentam seu envolvimento com os livros e reforçam o sentido de clube:

– Pelo aplicativo o assinantes trocam impressões sobre os livros, sugerem outras leituras dentro daquele assunto ou do mesmo autor. A gente também já teve encontros virtuais com os tradutores e com a própria equipe da TAG, para falar sobre o processo editorial e da curadoria. 

Franciele brinca que já se tornou amiga do entregador, ansiosamente aguardado por volta do dia 15 de cada mês. Se ela recomenda a experiência?

– Com certeza. Infelizmente o nosso país não tem o costume da leitura, mas para quem quer começar ou retomar, eu acho que o clube de assinatura é uma maneira muito legal, por tudo o que envolve: u te sentir parte de algo, a ansiedade gostosa, a surpresa com os mimos, as conversas com outros leitores. Fora a leitura em si, que para mim é um hábito terapêutico – justifica. 

Experiência ainda mais saborosa

Primeira caixa de chocolates artesanais enviada pela Florybal ao seu clube de assinatura, criado em agosto.<!-- NICAID(14601524) -->
Uma das caixas de chocolates da Florybal, de Gramado, que lançou seu clube de assinatura em setembroFoto: Amanda Ribeiro / Divulgação

Uma das empresas a entrar mais recentemente para o “clube dos clubes de assinatura” foi a fábrica de chocolates artesanais Florybal, de Gramado. No início deste mês, os assinantes receberam em casa a primeira caixa contendo entre 450g e 700g de algumas das mais de 400 variedades de produtos da marca. O diretor de marketing da Florybal, Tiago Cardoso, comenta não ser mera coincidência o clube dos chocólatras ganhar vida em plena pandemia:

– Era uma ideia que vínhamos namorando há pelo menos dois anos, acompanhando esse movimento crescente dos clubes de assinatura no país. Com as restrições de atendimento ao público durante a pandemia, foi também uma saída para nos reinventarmos. Entendemos que chocolate tem tudo a ver com a proposta dos clubes, por ser um alimento que as pessoas adoram comer e que poder receber uma caixa em casa, sempre com alguma surpresa, pode tornar o dia delas mais saboroso – comenta. 

O clube oferece três opções de caixa: a Experiência Gourmet, que foca na variedade de sabores e em ingredientes nobres; a Diet, para clientes com restrições de consumo de açúcar, e a + Cacau, para aqueles que preferem mais intensidade da matéria-prima do chocolate. Além de variar os sabores e de oferecer criações exclusivas dos mestres chocolateiros para os assinantes, a proposta é oferecer a cada mês uma experiência temática, que pode ser alusiva a uma estação do ano ou a uma data comemorativa, por exemplo.

– Formatamos desta forma neste início para atender aos públicos que a gente já trabalha na loja, mas sabemos que há um perfil novo a ser explorado, que é esse cliente que procura sempre a experiência diferente e que o surpreenda, que conta com a curadoria especializada de alguém que elaborou aqueles sabores com carinho e com conhecimento  – acrescenta o diretor.

Para Tiago, a aposta da empresa no clube vai muito além da intenção de incrementar vendas, mas de tornar a marca mais presente na vida das pessoas.

– A pandemia deixou todos nós um pouquinho mais carentes, e o modelo do clube de assinaturas tem esse poder de oferecer uma experiência legal e que faz a gente se sentir um pouquinho mais especial –  define.

Saiba mais
Para consultar preços e saber mais, os clubes de assinatura citados nesta reportagem podem ser encontrados nas redes sociais: @clubedomalte, @taglivros, @allpsalimentos e @florybal, além dos sites oficiais.

Leia também
Unicesumar promove reality gastronômico online
Secretária estadual da cultura anuncia que seis bairros de Caxias ganharão edital da pasta
O feminino e a arte pautam programação online do Sesc neste fim de semana
Clássico "Bye Bye Brasil" encerra programação cinematográfica do Festival de Gramado
Sorvete caseiro de amora  em quatro passos 
Planeta Atlântida não irá acontecer em 2021 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros