Adriana Antunes: uma lista para setembro - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Opinião08/09/2020 | 07h00Atualizada em 08/09/2020 | 08h45

Adriana Antunes: uma lista para setembro

Não precisa enumerar muitas coisas, talvez a lembrança de um abraço querido, um colinho no fim do dia, um sorriso-casa...

Setembro chegou e com ele o sonho de um tempo mais florido. Penso que um bom começo é fazer uma lista de coisas que nos fazem bem. Uma listinha de levezas. Não precisa enumerar muitas coisas, talvez a lembrança de um abraço querido, um colinho no fim do dia, um sorriso-casa, o conforto da presença da pessoa amada, um carinho, um cafuné, um ouvido amoroso que escute de verdade. Talvez um punhado de palavras de luz, talvez um dengo, um olhar sedutor e receptivo ao desejo, um tanto de tempo sem fazer nada, um coração-jardim pronto para florir, uma taça de vinho, olhar estrelas, ler poesia, cozinhar junto, regar as plantas, ficar no pleno silêncio, ouvir um jazz.

Leia mais
Adriana Antunes: escrever e reescrever-se
Adriana Antunes: banana-verde gratinada

Para isso é preciso aceitar que nem todas as sementes vingam, nem todos os sonhos se realizam, nem sempre o outro pede desculpas. É preciso deixar para trás aquilo que você achou que era amor, quando, na verdade, era doença. Perceber que há armadilhas que você mesmo cria e cai dentro sem se dar conta. É preciso perdoar-se pelas escolhas equivocadas, por ter ferido lindezas, sem querer, por ter deixado aquela pessoa linda ir embora, por puro egoísmo e onipotência, por dizer coisas horríveis das quais se arrepende profundamente, por saber que se está sozinho agora há uma parcela de responsabilidade em si mesmo por esse vazio.

Todos já enfrentamos invernos rigorosos. Já choramos muito. Já tivemos nossa confiança ferida. Ficamos tristes. Todos nós. Mas a vida não é para ser somente dureza, frio, geada e roupa pesada. Tem a virada da folha do calendário, o olhar de quem amamos, as flores nos jardins, nas esquinas, nas sacadas dos prédios, têm os bem-te-vis, a arte, os versos recitados em tantas lives lindas, os olhos especiais que nos dizem das estrelas e um bocado de gente querida e cheia de bênçãos.

Façamos o exercício, uma listinha de levezas para começar setembro. Aqui vai a minha:

1 – tirar as botas e colocar um chinelo velho e acostumado com meu pé;

2 – tirar o chinelo e pisar na grama fresquinha enquanto os gatos saem em disparada pelo jardim;

3 – sentir o cheiro de bolo recém-feito percorrendo a casa e tomando conta de todos os espaços;

4 – a chuva caindo no telhado depois de um dia de cão;

5 – dançar pela cozinha com meu amor e sentir que a felicidade é feita de instantes;

6 – sentir o cheiro de infância que vem dentro de toda caixa nova de lápis de cor;

7 – comer laranja direto do pé;

8 – falar sobre as coisas simples da vida, porque o doutorado me deu um título, mas a valentia para enfrentar os dias nasceu da coragem de ser eu mesma.

Uma listinha de levezas para começar setembro para que possamos nos sentir mais à vontade no mundo e dentro da própria vida. Uma listinha das nossas prioridades para nos darmos conta do que realmente é importante. E quando tudo ficar muito difícil, podermos voltar para ela que estará pendurada na porta da geladeira, para nos lembrar que só há essa vida e que se não formos felizes agora, talvez amanhã seja tarde demais.

Leia também
Festival de curtas está com inscrições abertas no RS
Cantor e compositor Cirio lança música "Independência ou morte"; ouça
Artista porto-alegrense Marcelo Hübner abre exposição na Galeria Gerd Bornheim, em Caxias

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros