Em cartas destinadas aos filhos, pais descrevem sentimentos, desafios e as expectativas da paternidade - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Dia dos Pais08/08/2020 | 08h00Atualizada em 08/08/2020 | 08h00

Em cartas destinadas aos filhos, pais descrevem sentimentos, desafios e as expectativas da paternidade

Cinco papais serranos contam como se preparam para educar rumo à construção de um mundo melhor

Em cartas destinadas aos filhos, pais descrevem sentimentos, desafios e as expectativas da paternidade Marcelo Casagrande/Agencia RBS
No Dia dos Pais, o Almanaque pediu para cinco papais escreverem textos para seus filhos lerem no futuro Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

O que é ser pai? Talvez não haja para tal pergunta uma resposta capaz de abranger tantos sentidos que esta palavra carrega. Tem o pai biológico, tem o pai que cria, tem o pai que adota, tem o pai que é mãe, tem a mãe que é pai. Em comum, todo pai compartilha o dever e o desejo de ser para seus filhos uma referência positiva, ser exemplo pela atitude e pelas palavras.

Por falar em palavras, neste Dia dos Pais o Almanaque pediu para cinco pais – dois deles ainda vivem a expectativa do nascimento dos primogênitos – escreverem cartas para seus filhos, imaginando que serão lidas por eles no futuro. Em textos sinceros e inspirados, Fábio, Rodolfo, Eliseu, Roberson e Ricardo compartilham suas impressões e sentimentos sobre o desafio da paternidade e pedem coragem e tolerância para quando chegar sua vez de  ajudar a mudar o mundo para melhor.

Ricardo Guedes, morador de Vacaria, pai do Otto, de 1 ano

Ricardo Guedes, pai do Otto e marido da Karine Carvalho, é personagem da reportagem do Almanaque de Dia dos Pais<!-- NICAID(14562816) -->
Ricardo Guedes, o pequeno Otto, de um ano, e a mãe Karine CarvalhoFoto: Andreza Fernandes / Divulgação

“Se eu pudesse dar só uma dica sobre o futuro seria esta: Usem o filtro solar!” já dizia Pedro Bial em 2003. Hoje, em 2020, as nossas preocupações mudaram, eu diria ao meu filho que além de usar filtro solar e máscara, use também o seu conhecimento para construir uma sociedade melhor.
Hoje com apenas um ano e três meses, o Otto está presenciando uma pandemia, mortes de pessoas próximas e um Brasil que está dividido politicamente, mas que há anos está doente, com enfermidades como a desigualdade social, preconceitos, machismo, corrupções e etc.
Eu, como pai de primeira viagem, junto a minha esposa buscamos desde a gestação ler a respeito de como criar um filho para contribuir de forma positiva dentro de nossa sociedade, sem preconceitos e da forma mais simples possível. Por exemplo, damos ao Otto brinquedos e roupas de várias cores, sem sexualização das mesmas. No início para mim era difícil aceitar isso, porque fui criado em uma sociedade em que menino veste azul e menina veste rosa, mas ao ser questionado o que a cor influenciava na sexualidade do meu filho, refleti, li a respeito e concluí que isso é um padrão moldado pela sociedade, criando ainda mais preconceito.
Muito da carga já cai sobre a mãe, que é quem desde pequena brinca de boneca, cuidando de outras pessoas, sendo uma tarefa do pai apoiar a mãe do seu filho ao mesmo tempo que procura formas de estreitar os laços com a criança. O homem precisa reconhecer sua responsabilidade como educador e cuidador. Responsabilidades que no dia a dia são cansativas, mas que também trazem muitas satisfações, como a de ver ele brincando, se desenvolvendo, fazendo gracinhas e correndo em sua direção quando sente medo. Vejo que muitos pais esperam a criança atingir determinada idade para começar a interagir com o seu filho, deixando para as mães toda a responsabilidade da primeira infância e assim se eximindo de parte de suas obrigações, abrindo mão de aproveitar e criar laços que serão lembrados pelo resto da vida.

A criação que damos aos nossos filhos, reflete muito na comunidade em que vivemos. Por trabalhar na área judicial, vejo, por exemplo, como o machismo ainda está impregnado na sociedade. Isso fica visível na quantidade de processos de medidas protetivas (Maria da Penha), que semanalmente são protocolados na justiça. Para que possamos mudar essa realidade, nós, os pais, devemos desde cedo ensinar nossos filhos a não promover a agressão, respeitar o próximo e quebrar antigos paradigmas que só contribuem ainda mais para a desigualdade de gêneros.
Nesse dia dos pais, mesmo longe do meu, que mora em Porto Alegre, queria deixar uma mensagem para os pais que tiraram um tempo para ler este texto: ensine seu filho a ser melhor que você, ensine ele a respeitar o próximo, ensine empatia, mas tente fazer isso através do seu exemplo em casa. E o presente que desejo neste dia é que meu filho seja livre, viaje, estude, busque sua felicidade, ajude ao próximo, transmita todo seu amor ao seu filho, e assim consequentemente contribuindo para uma sociedade melhor do que a que vivemos atualmente.

Fabio Kalifa, morador de Caxias do Sul, pai do Caetano, em gestação na barriga da Luciana Marcon

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 05/08/2020 - O músico Fabio Kalifa e a esdposa Nuni esperam pelo filho Caetano. Ele escreveu uma carta ao futuro filho. Fotos para reportagem de dia dos pais do caderno Almanaque. (Marcelo Casagrande/Agência RBS)<!-- NICAID(14561458) -->
Fabio Kalifa e a mãe, Luciana, esperam a chegada do CaetanoFoto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Filho,
primeiramente queria te agradecer por esse presente maior da vida, você. Por sua mãe, porque mãe também é pai, com todo seu amor , nosso amor, concebemos você.
Acredito que agora, você lendo esse texto em forma de carta, vai lembrar das histórias contadas por sua mãe e seu pai, nossas aventuras, nosso grandioso amor e carinho um pelo outro.
O destino que se cumpriu.
Que se lembre da gente andando de skate, do nosso futebol no campinho de barro, do jogo de bolinha de gude, da pipa voando no céu, dos banhos de chuva e de mar. Do orgulho de ser a pessoa que és, livre de preconceitos, julgamentos, sempre disposto a estender a mão.
Nos tempos atuais vivemos uma pandemia, um vírus, um momento muito diferente na qual toda humanidade está passando. Acredito que isto tudo aconteceu pra gente fazer uma reflexão ,sincronização melhor entre nós mesmos, para podermos ter chegado nos dias atuais com pessoas mais humanizadas, como você e seus amigos .
Espero estarmos conseguindo lhe educar como seus avós me educaram, com todo amor e carinho, independente das situações, sempre apoiando e incentivando nos caminhos da vida.
E essa foi a primeira composição que o pai fez pra ti Caetano. 

Esse mundão é colorido
Há coisas infinitas
Um universo inteiro
Para você desbravar
É o que mais quero nessa vida
Porque em outra vida
Vai levar um tempo
Para a gente se encontrar
Do pouco que sei
Do muito que errei
Um eterno aprendiz
E o que desejo pra você filhão
É que permita ao seu coração
Bater forte igual tambor
Rugir como um leão
Vulcão em erupção
Tal qual o sol no sertão
Toda essa intensidade
Sensibilidade
Força e humildade
Amor pureza e humanidade.
Te amo filhão

Rodolfo Pizzi, morador de Garibaldi, pai do Caetano,7, e da Moara, 2 anos

Rodolfo Pizzi, personagem da reportagem de Dia dos Pais, com os filhos Caetano e Moara.<!-- NICAID(14562887) -->
Rodolfo Pizzi, Moara, 2, e Caetano, 7Foto: Arquivo pessoal / Divulgação

Amados filhos, Caetano e Moara!

A primeira palavra que vem a minha cabeça quando penso em vocês é gratidão. Sou imensamente grato por ter a oportunidade de ter filhos. Se existe algo que entendo como fundamental dizer a vocês num futuro próximo é... tenham filhos. Filhos dão trabalho, são imprevisíveis, testam você em todas as tuas vulnerabilidades. Entretanto, também são os nossos melhores espelhos, são uma fonte inesgotável de oportunidades para aprendermos sobre nós mesmos e sobre a vida.
O maior aprendizado que tive com vocês foi o verdadeiro sentido da expressão “amor incondicional”. É fácil amarmos o que nos dá prazer, quem concorda e tem paciência conosco. Amar incondicionalmente é em primeiro lugar não julgar e não ter expectativas sobre os outros. Por isso, num futuro próximo, amem a todos incondicionalmente, sem julgamentos e expectativas. Cada ser humano está buscando encontrar um lugar e pessoas para se sentir pertencente e delas receber reconhecimento. Portanto, compreendam cada ser humano com imensa dose de empatia e, na medida do possível, façam sempre o melhor para ajudar quem cruzar os seus caminhos.
Isso que vos digo é muito importante, pois não quero que a geração de vocês repita os mesmos erros de sempre. A maioria dos males desta época se deve ao fracasso da empatia e à perda do senso de comunidade. Fechamo-nos em nós mesmos cultivando em nossos corações o orgulho, a ganância e a necessidade de ambições desmedidas. Isso só nos afastou enquanto comunidade, causando desigualdades profundas e violências que nunca deveriam ter existido. Lembrem-se sempre que somos todos parte da teia da vida, ninguém é melhor ou mais importante que ninguém. Todos somos importantes e merecemos nosso espaço nesse mundo.
Com certeza muitos desafios aparecerão nas suas caminhadas e vocês devem estar preparados para fazerem as melhores escolhas. Bem como, sempre existirão aqueles que tentarão lhes seduzir, ou por outro lado tentarão pela força impor uma mudança. Estejam sempre atentos, não deixem a vaidade, a curiosidade e o medo cegarem vocês. Tenham sempre coragem para se defenderem e defenderem o que vocês acreditam. Por isso eu vos aconselho a nunca terem ídolos, mestres, gurus. Sejam vocês mesmos os grandes protagonistas de vossas histórias.
Dessa mesma forma, não se iludam por riquezas, poder, beleza. Precisamos de novos valores se queremos construir uma nova humanidade. Para tanto exercitem sempre a humildade e a gentileza. Escutem a sabedoria acumulada dos mais velhos, mas, também, deixem espaço para a perspicácia da juventude. Pratiquem o bem, queiram o bem e estejam ao lado do bem. Num futuro próximo, mais do que tecnologia, precisaremos promover as melhores virtudes dos seres humanos se quisermos verdadeiramente ter paz e justiça no mundo.
Já antecipo uma situação. Mesmo seguindo todas as minhas orientações, meus amados filhos, preparem-se, pois vocês vão errar, várias e várias vezes. Aprendam e se superem a cada tombo. Façam de cada erro um trampolim, que os lancem para uma nova forma de ver a si mesmos e o mundo, impedindo que voltem a errar do mesmo jeito. Para isso se acostumem a perdoar a si mesmos e aos outros.
Assim como a sobremesa que vocês tanto adoram, deixo para o fim a lição mais importante. Não tenho como saber em que pé estará o mundo quando for a vez de vocês fazerem história. Mas se tudo estiver caótico, a vida já não tiver sentido e a natureza humana estiver deturpada, nunca se esqueçam dessa lição: a maior riqueza é a nossa fé. Mantenham-se sempre fiéis ao nosso Criador e garantam que siga viva em vossos corações a promessa de salvação do nosso verdadeiro Messias. Tendo isso sempre presente em vossas vidas, meus filhos, por mais difícil que seja a realidade, a vida ainda terá sentido e o amor verdadeiro ainda será a única força capaz de salvar o mundo.

Roberson Carneiro, morador de Caxias do Sul, pai da Isadora, de 3 anos

Roberson Carneiro, pai da Isadora, de 3 anos, é personagem da reportagem de Dia dos Pais do Almanaque.<!-- NICAID(14562804) -->
Roberson e a pequena IsadoraFoto: Arquivo pessoal / Divulgação

Minha Filha,

Escrevo esta carta do passado, para quando puder e souber ler entenda mais um pouco de todo sentimento e amor que sinto por ti. Espero aqui expressar um pouco da felicidade que senti desde a descoberta até cada momento e detalhe que me transbordou de alegria e satisfação esse tempo todo.
Não tive planejamento nenhum para sua chegada, mas com toda sinceridade do mundo te amei desde o primeiro momento que fiquei sabendo de sua vinda. No dia do seu nascimento quando pude te ver foi o momento mais feliz da minha vida, que faltam palavras para descrever, mesmo não podendo lhe pegar no colo fiquei o tempo todo espiado por trás de um vidro.

Tivemos momentos difíceis, mais tudo o que aconteceu foi exatamente como tinha que ser para aumentar nosso amor e contato, hoje (no passado) temos uma ótima conexão, somos muito próximos, espero agora enquanto está lendo esta carta pense e veja que continuamos desta forma.

Tem dias que é difícil, você sempre teve uma personalidade forte desde ´´pequeninha``, pensa sem se deixar influenciar por qualquer outra coisa, e até mesmo quando teima com o papai te amo e fico feliz, pois sempre procuramos alguma semelhança nossa em nossos filhos.

Isadora, obrigado por ter entrado em minha vida filha, estou aprendendo tanto quanto você, dando importância e vendo com outros olhos algumas coisas em relação aos seus avós. Então só tenho a agradecer a oportunidade que tenho de viver tudo isso ao seu lado. Tenho muito orgulho em falar e lembrar que tenho uma FILHA, te amo!

Eliseu Grigion, morador de Caxias do Sul, pai da Eliana, em gestação na barriga da mãe, Ana Cleia

Eiseu Grigion, pai da Eliana, em gestação na barriga da mãe Ana Cleia, é um dos personagens do Almanaque de Dia dos Pais.<!-- NICAID(14562880) -->
Eliseu e Ana Cleia aguardam a chegada da ElianaFoto: Arquivo pessoal / Divulgação

Para minha amada filha Eliana,

O dia mais especial da minha vida está prestes a chegar. Falta pouco para pegar você minha pequena Eliana no colo pela primeira vez. E não se preocupe, porque, mesmo eu sendo pai de primeira viagem, eu sei que estou preparado para este grande desafio.
Minha pequena flor, sim hoje você é pequena, no futuro quando ler essa carta será uma linda mulher, mas para mim será sempre a minha pequena. No futuro quando leres essa carta quero que saiba que te carreguei no colo, acalentei você nos momentos de dor, fiquei noites sem dormir, estava lá no seu primeiro dia de aula, na sua primeira apresentação te dando força e coragem. E espero está lá no futuro para continuar a te dar o meu colo se precisares, fiz o que podia para te dar o melhor de mim.
Você é minha única razão de viver. Com a sua chegada, aprendi a encarar os desafios com um sorriso no rosto, e sair deles mais seguro. Por você vou encarar meus piores dias com certeza que posso passar por eles e sair triunfante. Por você sou capaz de mover montanhas.
Não considero como sacrifício tudo que fiz, considero um prazer ter tido a benção de ser o seu pai, você é o meu maior presente e por tudo isso que eu desejo que seu futuro seja brilhante, que consigas realizar os teus sonhos, levantar diante de um tombo e poder sorrir mesmo nos momentos de tristeza, que sejas forte, guerreira, não tenhas vergonha de ser vitoriosa, mas sim tenhas orgulhos das tuas conquistas.
Eliana, esse foi o nome que escolhi para você, antes mesmo de saber que era uma menina. Que significa: Brilha como o Sol. Ao escrever essa carta lembrei-me desse texto e é assim que eu penso: “Desejo o suficiente para Você”.
Quando digo: “Desejo o suficiente para você”, estou desejando uma vida cheia de coisas boas e, suficiente para que você se ampare nela. Que encontre pessoas com o mesmo desejo e sede de vida, que acredite num futuro melhor e lute por ele todos os dias.
Desejo a você o sol, para que ele lhe dê luz e você possa deixar lindas atitudes por onde passar. Desejo a você, chuva o suficiente para que possas apreciar ainda mais o sol quando ela cessar. Desejo a você felicidades o suficiente para que mantenhas o seu espírito alegre. Desejo a você dor o suficiente para que as menores alegrias na vida pareçam muito maiores. Desejo a você que ganhe o suficiente para satisfazer seus desejos materiais. Desejo a você perdas suficiente para apreciar tudo que possui.

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros