Escola Tem Gente Teatrando, de Caxias, estreia nesta segunda-feira sua primeira mostra virtual - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Artes cênicas13/07/2020 | 10h55Atualizada em 13/07/2020 | 10h55

Escola Tem Gente Teatrando, de Caxias, estreia nesta segunda-feira sua primeira mostra virtual

Cinco produções estreladas pelos alunos serão postadas nas redes sociais da TGT

Escola Tem Gente Teatrando, de Caxias, estreia nesta segunda-feira sua primeira mostra virtual Reprodução/Divulgação
Foto: Reprodução / Divulgação

– É uma linguagem híbrida de teatro e alguma outra coisa. 

Ainda tateando em busca da melhor conceituação, Zica Stockmans tenta definir a experiência que professores e alunos de teatro da escola Tem Gente Teatrando tiveram nos últimos meses, cujo resultado pode ser conferido na primeira edição virtual da tradicional mostra anual de trabalhos. São cinco produções que serão postadas nesta segunda-feira nas redes sociais da TGT, produzidas pelas turmas dos cursos semestrais e do ensino profissionalizante. Os trabalhos, conta Zica, dão uma noção de como foi exercitar uma maneira diferente tanto de ensinar quanto de aprender:

– Foi uma empreitada que todos abraçaram de forma heroica, porque houve muita desesperança no meio do caminho. Estamos com muito sentimento contido, porque o teatro não é isso. Ninguém, no início, tinha noção de que essa situação duraria tanto tempo. Fomos tateando, temos reuniões semanais, e aos poucos os trabalhos foram se desenvolvendo. São trabalhos de 10 a 15 minutos, com muito experimento, algo como um teatro reinventado. Ainda estamos tentando batizar essa nova proposta de interpretação teatral, que será a forma possível até ser possível voltar ao presencial.

Divulgar as produções, mais do que cumprir com um compromisso, é perceber que é possível driblar as adversidades e inventar novas maneiras de se expressar artisticamente. Por isso que a turma do próximo semestre (as inscrições estão abertas a partir de hoje) terá um conteúdo adicional com orientações específicas para produzir dentro das novas possibilidades impostas pela pandemia, com tutorial de produção caseira. As novas experiências, afinal, não vão substituir o teatro presencial, mas podem agregar conhecimentos que não deixarão de valer quando a pandemia e o isolamento passarem.

– Houve muitas descobertas coletivas e muito amadurecimento nesse período, sobre estar aberto a novos caminhos, novas formas de fazer. A gente já usava muita projeção nos espetáculos, explorando a tecnologia no palco, e agora a relação mudou: o palco foi para dentro da tecnologia. O quadradinho da tela revelou-se para nós como uma janela para a arte – comenta Zica.

Outro ensinamento que o semestre atípico deixou para o pessoal da Tem Gente é que o espaço físico, no bairro Panazzolo, representa mais do que uma escola. Nesse momento em que todos se sentem meio abandonados, a casa, se pudesse, sentiria o mesmo. E para matar um pouco da saudade do que chamam de “segunda casa”, onde os encontros mediados pela arte formam famílias unidas por afinidade e visão de mundo, projeções dos vídeos serão feitas na fachada do prédio, na Rua Olavo Bilac. Sem querer formar aglomerações, é um ato simbólico, mas que vai chamar a atenção de pedestres e motoristas e mostrar que ali, mesmo remotamente, tem gente teatrando.

Sinopses

“Mátria”
Orientação: Fábio Cuelli
A partir de improvisações, a turma, formada apenas por meninas, criou uma dramaturgia autoral baseada no papel feminino na sociedade. O experimento de teatro reinventado traz a atmosfera do texto criado durante o período de isolamento social.

“Médico à Força”
Orientação: Daniel Colin
O texto “Médico à Força”, de Molière, serviu como base para a experimentação dessa turma. Na comédia, as histórias de um lenhador que se passa por médico e de uma filha que se finge de muda para não casar, entrelaçam-se, proporcionando uma divertida e intrincada trama entre as personagens. 

“Tartufo”
Orientação: Daniel Colin
Este experimento teatral reinventado apresenta as personagens do espetáculo “Tartufo”, de Moliére. Na trama, o falso beato Tartufo engana o nobre Orgon e sua mãe, Sra Pernelle. Infiltrado na casa, Tartufo gera confusões e engraçados desentendimentos. 

“A Terra Queimada de Sol”
Orientação: Fábio Cuelli
A partir do primeiro ato do texto “Uma Mulher Vestida de Sol”, de Ariano Suassuna, os alunos desenvolveram uma narrativa audiovisual que coloca o público em contato com esta tragédia nordestina, baseada na briga entre duas famílias pela posse de terras.

“Omito, entre Anjo e Diabo”
Orientação: Fábio Cuelli
Partindo do estudo do teatro clássico brasileiro, os alunos criaram uma narrativa audiovisual do trecho inicial do texto Roda Viva, de Chico Buarque. Escrita no final da década de 1960, a trama proporciona uma reflexão acerca da sociedade de consumo.

Serviço
O quê: 1ª Mostra TGT Em Casa – Experimentos de teatro reinventado.
Quando: a partir de hoje.
Onde: nas redes sociais da Tem Gente Teatrando:
Instagram: @temgenteteatrando
Facebook: /temgenteteatrando/
Youtube: canal Tem Gente Teatrando - Espaço Cultural

 Leia também
Banda Todos Foram Morar Longe lança single no Dia do Rock
Pizza de calabresa quentinha e crocante? Aprenda a fazer em casa!
VÍDEO: Quinteto Macedo inicia série em homenagem ao rock
Sandra Cecília: plantar, respeitar o tempo
Conheça mais sobre o Porcini, um selvagem cheio de sabor 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros