A arte não para #1: esculturas e desenhos refletem o que Daniela Antunes vê e sente no isolamento  - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Cultura08/06/2020 | 08h00Atualizada em 08/06/2020 | 08h00

A arte não para #1: esculturas e desenhos refletem o que Daniela Antunes vê e sente no isolamento 

Série irá mostrar o que artistas da Serra estão produzindo durante a pandemia e a busca por soluções para a crise

A arte não para #1: esculturas e desenhos refletem o que Daniela Antunes vê e sente no isolamento  Acervo pessoal/Divulgação
Em sua casa e atelier em Monte Bérico, Daniela cria inspirada pelos sentimentos e busca soluções para enfrentar a queda na venda de suas obras Foto: Acervo pessoal / Divulgação

A reclusão sempre fez parte da rotina da artista plástica caxiense Daniela Antunes. A diferença é que os dias passados no silêncio da bucólica localidade de Monte Bérico, onde une casa e atelier, perderam a poesia quando o isolamento passou a ser imposto pela pandemia do coronavírus. Aquilo que parecia passageiro virou uma preocupação que só aumenta, conforme o país mostra dificuldade em combater o vírus:

- Não estamos em condições de poetizar uma situação difícil como a que a gente está vivendo. Mesmo com a dificuldade de perder trabalho, estou isolada em minha casa, com conforto. Penso em quem não tem esse mesmo privilégio, que precisa trabalhar nas empresas, enfrentar a cidade. Tenho me sentido muito angustiada. A única resposta sincera é que achei que fosse passar mais rápido, mas não vai. O momento é de priorizar a saúde - reflete.

A perda de trabalho foi brusca. As vendas de suas obras caíram 90% desde março. Em abril recebeu R$ 70. Em maio, outra encomenda rendeu R$ 300. Para a artista, cujas peças em cerâmica costumam alcançar valores superiores a R$ 1 mil, pesaram o fechamento de lojas e a preocupação financeira dos clientes, que no momento priorizam as despesas básicas. Também teve de parar de dar aulas, uma vez que o ensino das artes plásticas requer o contato presencial.

- As pessoas estão conscientes de que o pior da crise ainda nem veio. Se têm dinheiro agora, temem que possa faltar lá na frente. Muitos dizem que irão voltar a comprar após a pandemia. Uma loja de Florianópolis, que fez uma encomenda muito boa no início do ano, teve de fechar. Também perdi um curso que iria ministrar em Vacaria e a possibilidade de uma exposição em Flores da Cunha - conta. 

Uma forma que alguns artistas caxienses encontraram de minimizar a crise foi comprar obras uns dos outros, vendidas a valores mais acessíveis. Uma rede de apoio mútuo, define a artista, que recentemente adquiriu um quadro do pintor Sérgio Luiz em uma exposição virtual. 

Por considerar que há pessoas mais necessitadas, Daniela evitou pedir o auxílio emergencial de R$ 600 do Governo Federal. Conta com a ajuda do marido, que trabalha como despachante, para segurar as pontas.

Artista plástica caxiense Daniela Antunes inaugura a série A Arte Não Para, do Sete Dias.<!-- NICAID(14517027) -->
Uma das artes recentes produzidas por Daniela em seu atelierFoto: Arquivo pessoal / Divulgação

Desenho para distrair e novas ideias

Produzindo com os materiais que já tinha em casa, Daniela Antunes aproveita o período também para se aprimorar em uma nova linguagem, o desenho com lápis de cor. Tanto nas criações a lápis quanto nas esculturas, retrata o sentimento dos dias atuais:

- O artista expressa aquilo que sente e vê, então não tem como não trazer pra arte essa sensação melancólica desses dias. Aqui onde moro tem muitos cavalos, então tenho criado bastante em mulheres deitadas sobre cavalos. O desenho tem sido a distração necessária.

Entre as ideias para buscar soluções num futuro próximo estão a de produzir peças menores, que possam ser vendidas por valor menor do que a sua produção habitual, e a criação de um site pessoal para comercializar seu trabalho, que está sendo desenvolvido com a ajuda de um sobrinho. Enquanto o site não vai ao ar, suas obras podem ser conhecidas e adquiridas no seu Instagram: @danielaantunes399. Além de novas peças, há esculturas remanescentes de exposições passadas, como “Daniela Através do Espelho”, que esteve na Galeria Gerd Bornheim em 2017.

Leia também
Sede da Guarda Municipal de Caxias recebe revitalização com grafite
Grupo Zingado apresenta duas atividades online neste fim de semana
Ioga têm sido alternativa a quem procura autoconhecimento em tempos de distanciamento social 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros