Mãe e filha falam sobre como exercem, trabalhando juntas, amorosidade por meio da arte - Cultura e Tendência - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Sociedade09/05/2020 | 09h58Atualizada em 09/05/2020 | 09h59

Mãe e filha falam sobre como exercem, trabalhando juntas, amorosidade por meio da arte

Jane De Bhoni e Francesca De Boni vão além da relação que envolve mãe e filha

Mãe e filha falam sobre como exercem, trabalhando juntas, amorosidade por meio da arte Juliano Vicenzi/Divulgação
Foto: Juliano Vicenzi / Divulgação

Nos últimos meses, Jane De Bhoni e Francesca De Boni têm ido além da relação entre mãe e filha. Estão exercitando afinidades criativas e estéticas na Compurossi, uma conviteria que desenvolve convites especializados, papelaria fina e design. Jane é artista plástica, mestre em design, professora de artes na Universidade de Caxias do Sul. Francesca é formada em Publicidade pela ESPM. Juntas, criam, conversam, exercem por meio da arte uma amorosidade explícita.

– O que nos une é a criatividade, temos qualidades diferentes que se completam – diz Francesca, também filha de Mario Antonio De Boni.

– Uma dá pitaco no trabalho da outra. Às vezes, só “brigamos” nos serviços domésticos e na cozinha – diverte-se Jane.

Leia mais
Criações com afeto: conheça um pouco da trajetória da intrépida estilista Niura Ramos 
Há sete meses vivendo em meio à natureza, Doris Peteffi Guerra conta por que largou a vida na cidade

Nesse astral, a mãe lembra que, depois do tradicional afastamento da adolescência, Francesca acabou “invadindo” o seu atelier por uns tempos.

– É bom tê-la por perto. Ela entende de muitas coisas. E a vibe do atelier é muito boa. Ela é muito trabalhadora, acaba me puxando – atesta a filha.

Jane reafirma essa sintonia, descrevendo Francesca como uma meticulosa observadora de suas criações visuais:

– Ela contribui, complementa minhas ideias, sugere nuances nas pinturas. Sempre fazemos coisas juntas – conta.

A cumplicidade tem se intensificado na parceria profissional.

– O grande desafio foi ela vir para meu mundo. Ela conhece muito de podcasts, está sempre buscando aprender e me ensina o tempo todo. E agora também eu ensino ela. Arranjei uma ótima sócia – avalia a jovem.

– Sou futriqueira, adoro novidades. Vou descobrindo coisas do universo atual que me ajudam com meus alunos. Esse intercâmbio é muito bom – complementa a mãe.

Tanto aprendizado e afeto imprimem profundidade na relação das duas.

– Minha mãe me ensina a botar a cara a tapa, a ir atrás das coisas. Ela manda seguir em frente, me encoraja. Minha autoestima para criar coisas legais na vida vem dela – confessa Francesca.

Com os olhos claros tais quais os da filha brilhando, Jane complementa:

– Faço isso sempre. Estimular as pessoas a criar e mostrar seus valores é fundamental. Essa demonstração de carinho é importante e tem que ser cultivada todos os dias.

Neste Dia das Mães, em especial, a filha Francesca vai dar espaço para a mãe Jane ficar com a avó, Acely Toss, de 85 anos.

– Largo tudo pela minha mãe e quero ser tratada assim – diz Jane, que divide esses afetos também com o filho, Mario Antonio de Boni Neto.

Francesca sabe que essas relações familiares precisam ser eternizadas.

– A herança que mais tenho delas é a energia – sentencia.

Da filha sobre a mãe
:: Orgulho
::  Inspiração
:: Dinamismo

Da mãe sobre a filha
:: Orgulho
:: Cumplicidade
:: Amor infinito

Leia também
Pedro Guerra: este texto é de grátis
Nivaldo Pereira: arte contra a tristeza
Dia das Mães no distanciamento social: os efeitos psicológicos que o afastamento físico pode causar
Artista Lucas Leite investe no projeto Retratos da Quarentena
Biblioteca Central da UCS celebra 50 anos  


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros