Frei Jaime: tudo poderia ser mais harmonioso se cada um apagasse os próprios incêndios - Cultura e Tendência - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Opinião05/05/2020 | 08h00Atualizada em 05/05/2020 | 08h00

Frei Jaime: tudo poderia ser mais harmonioso se cada um apagasse os próprios incêndios

Do amanhecer ao anoitecer, muitas coisas acontecem

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

Bom Dia! A terça-feira chega dentro da normalidade do ritmo próprio do amanhecer... a claridade espanta a escuridão... O dia se impõe e a noite se despede, com a certeza de retornar no tempo certo... Do amanhecer ao anoitecer, muitas coisas acontecem... O importante é saber administrar a vida, organizar os pensamentos e harmonizar os sentimentos... Que a gratidão acompanhe nossas ações! Vamos lá! 

"Tenho tentado apagar alguns incêndios do meu peito, tenho feito as pazes com o meu coração. E tem me feito um afago em meio ao caos." (Matheus Rocha). 

É um verdadeiro mundo que cada um carrega dentro de si, ao ponto de não saber o que consome mais energia: o exterior ou a interioridade? A grande maioria não foi educada a desenvolver algumas habilidades, para trabalhar com os próprios sentimentos. Existe um universo de pessoas que não sabe se controlar, que desconhece os próprios limites e acaba invadindo a liberdade dos outros. É muito comum perceber o quanto latente é o desejo de querer ser mais do que os outros, de poder dar a palavra final, de fazer prevalecer o seu ponto de vista, mesmo que isso machuque os demais. 

Tudo poderia ser mais harmonioso se cada um apagasse os próprios incêndios e não se preocupasse tanto com pequenas chamas, que estão na vida das outras pessoas. A relação humana está carente de elegância e de respeito. A vingança, na maior parte das vezes, está disfarçada de sorrisos sem alegria e de cumprimentos unicamente formais. Sim, o problema da humanidade é cardíaco: há tempo os corações deixaram de ser quietos, pacientes e esperançosos. Se paralelo ao processo de aprendizagem acontecesse a educação do coração, a felicidade poderia esbanjar largos espaços e contagiar diferentes ambientes. 

Quer ler mais textos do Frei Jaime?
Clique para conferir textos dos colunistas do Pioneiro

As pessoas que não fazem as pazes com o próprio coração não estão habilitadas para fortalecer os mais simples relacionamentos. As grandes mudanças do mundo serão efetivadas, na medida em que os humanos aceitarem consertar o próprio peito. Até pouco tempo atrás, tudo girava em torno do material: para ser era necessário aumentar o ter. Como todos vão ter que se acostumar a viver com menos, a saliência se dará pela grandiosidade do ser. 

Uma grande pessoa não terá muitas coisas, mas poderá acumular compaixão, sensibilidade, amizade, paciência e muita bondade. Em meio ao caos, saber amar será um grande afago para a alma. Impedidas de correr de um lado para o outro, que as pessoas possam apagar os incêndios e fazer as pazes com o coração. Afagar o coração: uma tarefa que vale a pena. 

Bênção! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraço!  

Leia também
Como empreendedores de Caxias estão enfrentando as incertezas causadas pelo coronavírus
Artistas caxienses contam como tentam se adaptar à nova realidade temporária, após a pandemia

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros