Frei Jaime: os desencontros familiares também precisam de paciência - Cultura e Tendência - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Opinião27/05/2020 | 08h00Atualizada em 27/05/2020 | 08h00

Frei Jaime: os desencontros familiares também precisam de paciência

A vida é feita de diferentes sentimentos

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

Bom Dia! A quarta-feira chega oportunizando serenidade e paz... A cada dia que passa a esperança vai tomando uma maior proporção... Alguns não conseguem ver, mas existe uma luz no fim do túnel... é a mesma luz que sempre existiu... A luz da fé pode até enfraquecer, mas ela jamais se apagará... Que este novo dia nos proporcione condições para reavivar a chama da fé. Amem! 

"A tristeza é uma telha quebrada na casa da nossa vida, mas a esperança é um cobertor que nos aquece." (Pe. Fábio de Melo). 

A vida é feita de diferentes sentimentos, advindos de acontecimentos ou até mesmo dos próprios pensamentos. A sensação de alegria e de felicidade são frequentes e em maior quantidade. Mas alguns momentos tristes também adentram o coração e acabam roubando o sorriso e o bem-estar. Sim, a tristeza é como uma telha quebrada por onde o orvalho se transforma em umidade e a chuva se faz gotejamento. A sensação de uma telha quebrada não é confortável, é um incomodo e, ao mesmo tempo, uma preocupação. Ainda bem que a esperança é um cobertor que aquece continuamente, dando a sensação de proteção e de conforto. 

Quer ler mais textos do Frei Jaime?
Clique para conferir textos dos colunistas do Pioneiro

A vida de todos acaba tendo situações onde até mais do que uma telha está quebrada. Às vezes, uma pequena discussão familiar é capaz de criar distanciamentos desnecessários. Quando os desafetos são emocionalizados, a dor da convivência torna-se intensa e sofrida. Para consertar a telha quebrada é necessário dedicação e amor à casa. Os desencontros familiares também precisam de paciência de perdão. ainda bem que o cobertor que aquece se parece com a esperança, que nunca falha e está sempre pronta para ajudar e aquecer o pertencimento. 

Não ter um cobertor, principalmente no inverno, é dolorido, pois quem sente frio praticamente não consegue dormir. Sem esperança os dias se tornam longos e pesados, é como estar na escuridão, sem nenhuma chance de alcançar a luminosidade. A compreensão é capaz de revolucionar os relacionamentos e evitar as dores do distanciamentos e das magoas. Que o amor seja o cobertor que aquece os laços de amor e que impede que da telha quebrada brote a umidade. Feliz de quem busca aquecer-se na esperança. 

Bênção! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraços!  

Leia também
Como empreendedores de Caxias estão enfrentando as incertezas causadas pelo coronavírus
Artistas caxienses contam como tentam se adaptar à nova realidade temporária, após a pandemia

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros