Frei Jaime: a relação com o tempo é algo sempre inacabado - Cultura e Tendência - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Opinião22/05/2020 | 08h00Atualizada em 22/05/2020 | 08h00

Frei Jaime: a relação com o tempo é algo sempre inacabado

Tentar desenhar o invisível nem sempre é possível

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

Bom Dia! A semana passou normalmente e a sexta-feira chegou... Hoje é dia de Santa Rita de Cássia, a santa dos casos impossíveis... Em forma de oração, peçamos que ela interceda pelo fim da pandemia... Todos nós temos nossas situações exigentes, mas temos fé que tudo, aos poucos, se ajeite... Sejamos agradecidos pelo exemplo de tantos que superaram as dificuldades e se encontraram com a realização! Muita fé e persistência! Abençoada sexta-feira! 

"O tempo é a imagem móvel da eternidade imóvel." (Platão). 

A relação com o tempo é algo sempre inacabado. Todos têm acesso ao tempo, mas nem sempre o aproveitamento é adequado. Enquanto o ser humano é peregrino neste mundo experimenta diferentes facetas do tempo. Um dia, de acordo com a espiritualidade, haverá o encontro definitivo com a eternidade do próprio tempo, que deixará de ser móvel para tornar-se imóvel. Tentar desenhar o invisível nem sempre é possível, pois cada um tem um entendimento de mundo e de eternidade. Porém, o tempo cronológico pode dar amostras, mesmo que singelas e simples, do que é a eternidade. Do nascente ao poente, o sol mostra a existência de algo indescritível. A chuva que cai pode demostrar a perfeição do universo. O desabrochar das flores, com incontáveis matizes, remetem ao transcendente. Porém, o materialismo tem a habilidade de endurecer o coração, ao ponto de tornar-se incapaz de contemplar os verdadeiros milagres, que o tempo faz acontecer. 

Quer ler mais textos do Frei Jaime?
Clique para conferir textos dos colunistas do Pioneiro

Ninguém é obrigado a olhar para além das nuvens, muito menos ler o que está escrito nas entrelinhas dos versos, mas é simplesmente encantador deixar a espiritualidade desvendar os sinais que remetem às alturas. Por muitos séculos, a humanidade idolatrou os bens materiais, ao ponto de interligar a felicidade com a quantidade de posses. Os novos tempos estão conclamando para um verdadeiro encontro com a essência. As pessoas com alma serão capazes de viver mais serenamente e com menos coisas. 

Em meio aos muitos compromissos é fundamental perceber o movimento da respiração, sentir as batidas do coração, ser capaz de olhar sem pressa e de sonhar sem receio de estar perdendo tempo. A saudade da simplicidade está tocando muitos corações e inspirando futuras decisões. Na eternidade não haverá espaço para a pressa, pois tudo será compassado e entrelaçado. Que os dias que antecedem a eternidade sejam marcados pelo exercício de viver com plenitude, desfrutando do significado da paz. A leveza da eternidade é  absorvida por todos aqueles que não aceitam ser peça de uma engrenagem, que dispensa os sentimentos. No tempo que passa, ser capaz de descobrir o que é eterno: é assim que começa a felicidade. 

Bênção! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraço! 

Leia também
Como empreendedores de Caxias estão enfrentando as incertezas causadas pelo coronavírus
Artistas caxienses contam como tentam se adaptar à nova realidade temporária, após a pandemia

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros