Frei Jaime: a convivência é um grande desafio que precisa contar com a maturidade - Cultura e Tendência - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Opinião28/05/2020 | 08h00Atualizada em 28/05/2020 | 08h00

Frei Jaime: a convivência é um grande desafio que precisa contar com a maturidade

Cada amanhecer carrega consigo o amor de Deus e a confirmação de que Ele nunca nos deixa sozinhos

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

Bom Dia! Como faz bem abrir os olhos e contemplar a chegada da claridade, que nos convoca para um novo dia... Deus não cansa de nos presentear... Cada amanhecer carrega consigo o amor de Deus e a confirmação de que Ele nunca nos deixa sozinhos... Quanto maior for nosso silêncio e maior for nossa paz, mais espaço Deus terá para se manifestar ao nosso coração... Escutar Deus é uma bela oração... 

São Francisco de Assis rezava através dos próprios questionamentos: ‘Senhor, que queres que eu faça?’ Muitas vezes me pergunto: o que de fato Deus quer de cada um de nós? Sejamos criativos nas respostas! Feliz 5ª feira! 

"Hoje me perguntaram: Por que você tem tanto medo de ferir o coração de alguém? Suspirei e respondi: porque sei o quanto dói." 

A convivência é um grande desafio, que precisa contar com a maturidade, a compreensão e o perdão. Para viver feliz não bastar ter as coisas necessárias, é preciso estar de bem consigo e com os outros. O fato de cada um ter suas particularidades, os atritos e distanciamentos acabam acontecendo. Quando alguém é machucado sem um motivo justo, a dor se torna intensa, ao ponto de demorar para passar. Quem já experimentou a dor de uma machucadura emocional ou moral, deve evitar de causar as mesmas dores para os outros. O interessante é que muitas pessoas não mudam seu jeito de ser, mesmo sabendo que estão causando sofrimento na outras pessoas.     

Quer ler mais textos do Frei Jaime?
Clique para conferir textos dos colunistas do Pioneiro

Quem não se importa de ferir o coração alheio, também sofre, pois acaba ficando sozinho. A perda da humildade é a porta de entrada para o mundo da vingança e da indiferença, diante do sofrimento do semelhante. Quem não é humilde coloca-se num patamar acima dos demais, não se importando em humilhar e maltratar, por palavras e gestos, os que fazem parte do convívio. Muitos ambientes poderiam ser um espaço de maior harmonia e afetividade, se não fosse a presença de corações amargurados, que sentem até prazer de fazer os outros sofrerem. Ainda bem que a grande maioria tem consciência e decide não machucar ninguém, mesmo sendo maltratado. 

A melhor conquista da vida é ser uma pessoa do bem, capaz da amabilidade, do perdão e do silêncio. Mesmo recebendo ofensas e discriminação, é possível continuar na serenidade, não abrindo mão de fazer os seus pagamentos com a moeda da bondade e da compaixão. Aqueles que permitem a permanência da maldade em sua vida, dificilmente se encontram com a felicidade. Cuidar para não ferir os outros é uma atitude profundamente humana e caritativa. Nenhuma pessoa equilibrada se sente bem ao saber que deixou alguém triste. A convivência existe para fazer o amor circular e provocar altos níveis de felicidade. Para ser feliz é preciso fazer os outros felizes. 

Bênção! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraço! 

Leia também
Como empreendedores de Caxias estão enfrentando as incertezas causadas pelo coronavírus
Artistas caxienses contam como tentam se adaptar à nova realidade temporária, após a pandemia

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros