Frei Jaime: a Sexta-Feira Santa é um convite à reflexão - Cultura e Tendência - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Opinião10/04/2020 | 08h00Atualizada em 10/04/2020 | 08h00

Frei Jaime: a Sexta-Feira Santa é um convite à reflexão

Os séculos passaram e, ainda hoje, o Calvário se faz eloquente para todas as gerações

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

Bom Dia! O claridade vai chegando aos poucos...É Sexta-Feira Santa! Um dia silencioso, que nos remete àquela Sexta-Feira derradeira, que marcou a história cristã da humanidade... Um inocente foi condenado ao pior castigo! Na cruz pesada de Jesus estão nossos erros e pecados... Misericórdia, Senhor! 

"Na cruz ou na crise, Ele está de braços abertos." 

A Sexta-Feira Santa é um convite à reflexão. Os séculos passaram e, ainda hoje, o Calvário se faz eloquente para todas as gerações. De um jeito ou de outro, todos se voltam para Jerusalém: alguns revisitam o fato histórico, muitos estão ainda em busca de provas. Mas um número muito expressivo reconhece que Jesus era e continua sendo o Filho de Deus, que doou sua vida por amor. Quando nosso olhar se volta para a cruz de Jesus, o primeiro sentimento não é a dor, mas a admiração diante de um grande amor. Somente o amor é capaz de suportar o sofrimento, inclusive quando este é fruto da injustiça. 

A cruz, distante do amor, é loucura. Praticamente não há vida sem alguma cruz. Mas é interessante a história daqueles que fazem o bem: normalmente são provados pelo sofrimento, mas não desistem, pois o que fazem está imbuído de dedicação e de doação.        

Quer ler mais textos do Frei Jaime?
Clique para conferir textos dos colunistas do Pioneiro

Os braços de Jesus estão estendidos, no corpo pendente, porém, abertos recordando que nem a cruz o impediu de abraçar a humanidade. Na crise, Jesus continua de braços abertos para aliviar, consolar e erguer. Ele nunca deixa de abrir seus braços, independentemente da situação. Ele continua movimentando os braços para repartir o pão aos famintos, dar água ao sedento, acolhida aos desanimados e alegria aos tristes. São esses braços que a humanidade necessita, nesta exigente crise. 

Nesta Sexta-Feira Santa que possamos nos deixar abraçar por Ele, para renovar a esperança e, acima de tudo, para fortalecer a fé. É Jesus, do alto da cruz, que ouve e alivia nossas angústias e não deixa o desânimo tomar conta. Somente Ele salvará o nosso amanhã. Jesus, obrigado por ter dado a vida por nós! Na cruz ou na crise, de braços abertos para nos proteger. 

Bênção! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraço!

Leia também
Como empreendedores de Caxias estão enfrentando as incertezas causadas pelo coronavírus
Confira como os partidos em Caxias se posicionam com relação à cogitação de adiamento do processo eleitoral
Artistas caxienses contam como tentam se adaptar à nova realidade temporária, após a pandemia

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros