Frei Jaime: por um instante, se deixe em paz - Cultura e Tendência - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Opinião06/02/2020 | 06h15Atualizada em 06/02/2020 | 06h15

Frei Jaime: por um instante, se deixe em paz

O ser humano foi feito para a paz e, sem ela, a dignidade se torna frágil

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

Bom Dia! A quinta-feira vai surgindo aos poucos... A claridade se faz insistente convite: é hora de recomeçar... A vontade de ficar mais um pouco abraçado no sono, deve ser espantada... Vale apena saltar e ir ao encontro da vida e de seus encantadores movimentos! Feliz dia! 

"Por um instante, se deixe em paz." 

A busca pela paz tem a idade da humanidade. O ser humano foi feito para a paz e, sem ela, a dignidade se torna frágil. É comum pensar que são os outros responsáveis pela falta de paz. Porém, em algumas situações são as próprias pessoas que não se permitem uns instantes diários de paz. Estar sempre insatisfeito é um grande risco para a paz. Não conseguir aquietar os ânimos e controlar a ansiedade, pode comprometer a paz de cada dia. Deixar-se em paz não é um conselho qualquer, mas uma necessidade, que brota das profundezas do ser. É bem provável que, nos próximos tempos, a agitação alcançará níveis ainda maiores. O mundo está sustentado e arquitetado pela velocidade. O controle desse ritmo ultra acelerado não está nas mãos de ninguém. 

Leia mais
Quer ler mais textos do Frei Jaime?
Clique para conferir textos dos colunistas do Pioneiro

O mundo é autônomo, ao ponto de não ter nenhuma preocupação com a humanização, mas estar comprometido com a automação, virtualização e a robotização. Os humanistas, no entanto, sabem que o afeto faz toda a diferença. A esperança de um mundo melhor, começando por pão em todas as mesas, não é um sonho frágil, mas um desejo eloquente. Cedo ou tarde, a busca pelo toque humano será tão insistente, que a felicidade dependerá dos abraços, do vínculo familiar, dos laços de amizade e de olhares serenos e profundos. 

Porém, é preciso eleger a paz como parte dos próprios sonhos. A mesma preocupação em conseguir o pão de cada dia deverá ser direcionada para a paz de todos os dias. Pão e paz não podem ficar separados. Não convém esperar que os outros ofertem a paz. Cada qual pode e deve fazer o exercício de se deixar em paz, não sendo tão duro e exigente consigo mesmo, nem se maltratando com a ausência do auto perdão. Cada pessoa tem dentro de si a quantidade de paz que necessita, para dar conta do maravilhoso dom da vida. Então, não seja um mendigo da paz, isto é, não espere que os outros alcance a paz. Seja criativo: deixe-se diariamente em paz. Creia, tudo será diferente. 

Bênção! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraço!      

Leia Também
Baixinho revelação da Copa São assina contrato profissional com o Juventude    

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros