Frei Jaime: todos os dias é possível aprender algo novo - Cultura e Tendência - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Opinião22/01/2020 | 06h15

Frei Jaime: todos os dias é possível aprender algo novo

É necessário abrir espaços para novos conhecimentos

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

Bom Dia! Um novo dia se apresenta... Que esta quarta-feira seja acolhida com muito amor e dinamismo! A preguiça precisa ser espantada, pois ela não acrescenta nada! Vamos lá... espichar o corpo e flexibilizar o coração! Segurando na mão de Deus! 

"Boa regra da vida é esta: aprende a esquecer." (Baltasar Gracián y Morales). 

A vida se estabelece e se fortalece, a partir dos diferentes aprendizados, que é um processo que desconhece fim. Todos os dias é possível aprender algo novo e agregar à vida, para que a mesma seja qualificada. Estar aberto à aprendizagem é uma atitude fundamental e determinante, principalmente numa época em que a humanidade experimenta a instantaneidade e sente sede, ao mesmo tempo, da intensidade. Porém, não basta somente querer aprender. É necessário abrir espaços para novos conhecimentos e, assim, assumir novas posturas. Aprende melhor quem sabe esquecer o que não soma e não faz a diferença. 

Leia mais
Quer ler mais textos do Frei Jaime?
Clique para conferir textos dos colunistas do Pioneiro  

A vida aguarda por alguns esquecimentos. Por mais inteligência que uma pessoa possa ter, dificilmente esquece uma desavença, um episódio triste, um conflito qualquer, uma mágoa. Não esquecer certas coisas é perder o melhor tempo de viver a leveza que é oferecida a todos. É evidente que aquilo que o cérebro registrou e que fez o coração sofrer é difícil descartar e anular. Mas com um pouco de esforço, a mente se abre para relativizar o que não somou. Se doeu naquele momento, mas a dor já passou. 

As cicatrizes são suficientes para que a página seja virada e a vida continue. Diante de tantas coisas novas para apender, é uma pena desperdiçar tempo e oportunidades simplesmente pela teimosia de não querer esquecer. A vida em família tem sofrido muito, justamente porque o ato de esquecer não encontra espaço e vez. A pessoa que afirma ser feliz, mas não exercita o esquecimento e o perdão, não está sendo totalmente sincera. A espontaneidade da felicidade supõe muitos esquecimentos. Reavivar o que doeu e machucou é gastar a melhor energia nas questões que não podem ser revertidas.

É bem verdade que a bondade não pode se distanciar da justiça. Mas uma pessoa justa é capaz de relegar a um segundo plano o que tornou-se insignificante com o passar do tempo. Esquecer é também uma forma de amar. Bênção! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraço!

Leia também
Alimentos orgânicos tiveram crescimento de 20% em Caxias do Sul
Os rumos de MDB, PDT e PSB na eleição à prefeitura de Caxias
Relembre o desempenho do Juventude contra o Inter nos últimos jogos pelo Gauchão 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros