Frei Jaime: a maldade não é uma determinação do destino - Cultura e Tendência - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Opinião18/11/2019 | 07h00Atualizada em 18/11/2019 | 07h00

Frei Jaime: a maldade não é uma determinação do destino

A bondade é a essência humana, inspiração diária, excelência do existir

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

Bom Dia! Após um final de semana mais prolongado, é hora de recomeçar... Vamos nos colocar a caminho, sentindo o pulsar da vida e do amor... Que as atividades deste dia e desta semana sejam para o bem de todos! Vamos que vamos! 

"Enquanto o bem existir o mal tem cura." 

O bem e o mal medem forças e participam de uma contínua disputa. Fora ou dentro do coração humano, o melhor e o pior travam verdadeiras batalhas, sempre em busca da vitória. Porém, ninguém foi destinado ao mal. Pelo contrário, a bondade é a essência humana, inspiração diária, excelência do existir. Dos mais diferentes pontos do planeta, o movimento humano se faz busca e conjuga, em todos os tempos, a esperança. A maldade não é uma determinação do destino, mas uma opção pouco consistente. 

É comum as pessoas darem mais espaço para tecer comentários em relação ao mal, esquecendo-se de abordar a naturalidade do bem. Sem muito alarde e barulho, o bem segue sua trajetória, enquanto alcança serenidade e qualidade à vida. O mal existe, sim. Além disso, há pessoas que estão sempre atentas para encontrar uma brecha e praticar algum ato que provoque sofrimento. 

Leia mais
Quer ler mais textos do Frei Jaime?
Clique para conferir textos dos colunistas do Pioneiro

A grande maioria desconhece o mal, pois optou pelo bem. Mesmo assim, é triste perceber a maldade circulando livremente em determinados ambientes, provocando lágrimas, roubando sorrisos e machucando corações. Mas enquanto o bem existir, o mal terá cura e será gradativamente excluído dos espaços de convivência. Desejar o mal aos outros é uma pequena amostra do quanto a vida pode ser insignificante, mesmo que o ideal humano seja tão grandioso. 

Ninguém deveria se impressionar e se desestruturar, quando alguém lhe deseja o mal. Tomar distância de ambientes onde a maldade circula livremente é uma decisão acertada. Porém, não convém gastar tempo sentindo medo dos estragos que o mal pode realizar. A força mais eficaz está no bem. Se comparado com o bem, o mal sempre será fraco e relativo. Para curar a maldade basta não devolver com a mesma moeda. É necessário fortalecer o bem, através de diversos gestos e até do silêncio. O mal tem cura, porque o bem existe e está em contínuo movimento. Faz bem fazer o bem. 

Bênção! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraço!  

Leia também
Polícia Civil de Caxias do Sul não realiza atendimentos nesta quarta e quinta-feira
Município tenta derrubar liminar que autoriza Parada Livre no Centro de Caxias
Na Cozinha: não vai deixar de provar esse pavê com doce de leite e cookies, né?

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros