Fábio Barreto, morto nesta quarta, imortalizou a Serra nas telonas - Cultura e Tendência - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Obituário21/11/2019 | 11h40Atualizada em 21/11/2019 | 11h40

Fábio Barreto, morto nesta quarta, imortalizou a Serra nas telonas

Cineasta estava em coma há 10 anos

Fábio Barreto, morto nesta quarta, imortalizou a Serra nas telonas Fernanda Davoglio/1/03/1995,Agencia RBS
Barreto durante as gravações de "O Quatrilho", em Antônio Prado, em 1995 Foto: Fernanda Davoglio / 1/03/1995,Agencia RBS

O cineasta Fábio Barreto, que morreu na noite da última quarta (20) após 10 anos em coma, deixa muitos conhecidos e admiradores na Serra. Ele esteve filmando por aqui em duas ocasiões. A mais emblemática foi em 1995, quando transitou por várias cidades da região para registrar a história de O Quatrilho, baseada no livro homônimo de José Clemente Pozenato. O longa foi indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, em 1996. Na época das gravações, Barreto quis conhecer a adaptação teatral da narrativa, aquela que o grupo caxiense Miseri Coloni já tinha levado aos palcos anos antes.

Leia mais:
Memória: O Quatrilho e os 20 anos do quase Oscar
O Quatrilho: 30 anos do livro, 20 anos do filme  
Há 20 anos: filmagens de O Quatrilho movimentam Antônio Prado
Romance o Quatrilho completa 30 anos 

— Apresentamos a peça três vezes para o diretor (Barreto). Ao menos três cenas do filme ele fez idênticas ao que encenávamos no teatro — contou à reportagem do Pioneiro o empresário e ator Arcângelo Zorzi, o Maneco, em julho.

Pozenato, que esteve em Los Angeles com a equipe do filme para concorrer à estatueta do Oscar em 1996, também ficou imortalizado na telona. Ele fez uma ponta como o fotógrafo que registra a família dos personagens Pierina e Angelo com os filhos, em cena gravada no casarão dos Eberle, em Caxias.

— Um dia, o Fábio Barreto chegou e disse, "Vou lhe colocar no filme". Eu respondi que aceitava, mas só se ele desse uma de Hitchcock e aparecesse também — lembrou o escritor, em reportagem do Pioneiro sobre os 30 anos do livro.

Patrícia Pillar e Fábio Barreto nas gravações de  O Quatrilho
No set de "o Quatrilho", com uma de suas musas, Patricia PillarFoto: Reprodução / Instagram

Quase 10 anos depois de filmar na Serra sua obra mais reconhecida, Fábio Barreto voltou a se envolver com as paisagens e com o povo da região. Ele registrou por aqui o longa Nossa Senhora de Caravaggio (lançado em 2007). Entre as cenas mais emblemáticas da obra estão as gravadas durante a romaria em honra à santa, que ocorre anualmente em Farroupilha.

— Estou feliz por poder voltar a filmar, porque o lugar onde o diretor tem o seu ápice é em um set — disse Fábio Barreto ao Pioneiro, em 2004, quando anunciava o início das filmagens do filme na Serra.

Diretor Fábio Barreto e equipe do filme Nossa Senhora do Caravaggio vai às ruas de Gramado divulgar a produção.Uma pequena procissão com a imagem da santa fez parte da divulgação.Na foto a esposa de Barreto, a atriz Déborah Kalume que faz o papel da Santa.
Em Gramado, Barreto levou uma imagem de Nossa Senhora de Caravaggio para divulgar filme sobre a fé na santaFoto: Daniela Xu / Agencia RBS

Leia também:
Bandas e fanfarras de três Estados participam de competição inédita em Vacaria
Mississippi Delta Blues Festival se inicia nesta quinta-feira, em Caxias do Sul. Confira o que rola na primeira noite
Confira todas as atrações do MDBF 2019, que começa nesta quinta
Veja os modelos de copos que estarão disponíveis no MDBF 2019
Saiba mais sobre as opções gastronômicas do MDBF 2019
MDBF 2019 terá concurso de fantasias comandado pela modelo Greice Leite 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros