Autoconfiança, autoestima e motivação: psicóloga fala sobre os benefícios do aprendizado da música na infância  - Cultura e Tendência - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Educação12/10/2019 | 07h30Atualizada em 12/10/2019 | 07h30

Autoconfiança, autoestima e motivação: psicóloga fala sobre os benefícios do aprendizado da música na infância 

No Dia da Criança, Almanaque trouxe histórias de pessoas que tiveram sua vida transformada pelo contato com a música

Autoconfiança, autoestima e motivação: psicóloga fala sobre os benefícios do aprendizado da música na infância  Antonio Valiente/Agencia RBS
Para psicóloga, é fundamental que a criança tenha no cotidiano práticas não passivas, que dependam do seu próprio esforço Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

A reportagem Infâncias tocadas pela música, publicada no Almanaque deste fim de semana, trouxe histórias de pessoas que tiveram a sua vida transformada a partir do contato com um instrumento musical. 

Na mesma medida em que a criançada tem à disposição uma parafernália tecnológica cada vez maior, com equipamentos digitais abastecidos de conteúdos que as convidam a manter os olhos vidrados na tela, mais especialistas em educação e psicologia infantil têm apontado a necessidade de dar aos filhos opções de “entretenimento desconectado”. 

De tempos em tempos, viralizam artigos que defendem a retirada do tablet das mãos da criança e sua troca por um instrumento musical, por exemplo. Os benefícios da musicalização e do ensino da arte ainda na infância vão muito além do aprendizado técnico. Como explica a psicóloga caxiense Rafaela Manfroi de Moraes, especialista em terapia cognitivo-comportamental para crianças e adolescentes, na entrevista a seguir: 

Almanaque: Quais os benefícios que a introdução ao mundo da música (canto, instrumento ou dança) ainda na infância pode dar à formação?
Rafaela Manfroi
: O contato com a música potencializa características do desenvolvimento com maior facilidade, como, por exemplo, coordenação motora, fala, dicção e alfabetização. Também desperta a criatividade e aguça a sensibilidade e afetividade. Pesquisas apontam que, através da inclusão da criança no meio musical, há um maior desenvolvimento da memória. Além disso, crianças com dificuldade em manter a atenção podem apresentar uma melhora significativa após realizarem atividades musicais.

Existe uma idade mais adequada para dar à criança o primeiro instrumento musical de verdade? É bom que acompanhe a alfabetização?
A partir dos 5 anos, a criança já evidencia coordenação motora para aprender algum instrumento. Ela inicia a fase da alfabetização, conseguindo elaborar o pensamento antes da fala e desenvolvendo a noção de tempo e espaço. Entretanto, é importante considerar se há interesse pela música e por tocar um instrumento. O acompanhamento e a paciência dos pais são essenciais para a permanência das crianças nos estudos. Cada criança é única, com suas peculiaridades e potencialidades, tendo seu próprio tempo para aprender. Por isso, cabe aos responsáveis avaliar o momento certo para iniciar o processo.

Nesta era em que as crianças estão cada vez mais expostas aos aparelhos eletrônicos, torna-se ainda mais importante estimulá-las a desenvolver o gosto por passatempos analógicos, como um instrumento musical?
A tecnologia faz parte do cotidiano da criança, trazendo alguns benefícios evolutivos. Entretanto, seu uso indiscriminado, sem um objetivo educacional, pode gerar um bloqueio no desenvolvimento de habilidades e potencialidades. O fato de aprender a tocar um instrumento, por exemplo, prepara a criança para assumir os seus talentos pessoais, além de desenvolver autoconfiança, autoestima e motivação para realizar outras atividades que dependam do seu próprio esforço.

Existe casos em que pais chegam ao teu consultório com a criança apresentando determinado problema e que tu indiques a música como parte de um tratamento?
Algumas demandas que surgem no consultório, há alternativas concomitantes que podem auxiliar no processo terapêutico, como a música, por exemplo. Crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA), tendem a ter uma relativa melhora em suas habilidades de comunicação e convívio social. No Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), a música pode auxiliar na disciplina e na concentração.

Leia também:
Casa do Caramujo realiza Bazar de Primavera, neste sábado
Slam Poetiza realiza final regional neste domingo, em Caxias
Personagem das paisagens urbanas, Elichat completa sete anos com mostra artística
DJ paulista Erick Jay visita Caxias para show e bate-papo em instituição social

 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros