Frei Jaime: os sentimentos nem sempre acompanham o que é ideal e pontual - Cultura e Tendência - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Opinião06/08/2019 | 05h00Atualizada em 06/08/2019 | 05h00

Frei Jaime: os sentimentos nem sempre acompanham o que é ideal e pontual

Razão e emoção nem sempre se completam

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

Bom Dia! Acordando aos poucos... agradecendo o dom da vida... sentindo paz no coração... A bondade de Deus nos presenteia com um novo amanhecer! Que neste dia 06 de agosto, terça-feira, possamos vibrar com a vida e abraçar tudo o que teremos pela frente... Dificuldades e desafios fazem parte do cotidiano! As alegrias também estão presentes no dia a dia! Então, vamos lá! 

Eu sei que você já cansou de se diminuir para tentar caber no mundo do outro.” (André Ferrari).  

Leia mais
Quer ler mais textos do Frei Jaime?
Clique para conferir textos dos colunistas do Pioneiro  

Por mais que o conhecimento seja capaz de indicar por onde seguir, os sentimentos nem sempre acompanham o que é ideal e pontual. Razão e emoção nem sempre se completam. A impressão é de que, em alguns momentos, a racionalidade e a afetividade têm muita facilidade de entrar em conflito. Seguidamente, a inteligência racional vê de um jeito e o coração vibra em outra faixa. Os relacionamentos estão permeados pela dicotomia existente entre o pensar e o amar. 

Algumas pessoas quase se anulam para poder dividir afetos. Amar é algo maravilhoso porém, ninguém deveria se diminuir simplesmente para caber no mundo do outro. O amor próprio vem antes do amor ao outro. Não se trata de medição de forças, mas da naturalidade inerente no próprio ato de amar. Quem muito se diminui, acaba cansando e desistindo de buscar a plenitude. A grandiosidade da existência reside na maturidade do amor. Sim, o amor precisa amadurecer muito, ao longo dos anos.

 A paixão é a porta de entrada, depois chega o querer profundamente, o desejo de que o melhor aconteça para a outra pessoa. Muitas pessoas viveram grandes paixões e, hoje, são simplesmente estranhas. Outras tantas se anularam para ver o outro feliz, mas não deu em nada. Ninguém deveria se diminuir, nem se enaltecer. 

A convivência só se efetiva e promove realização, quando ambos vivem de igual para igual. A relação vertical há tempo cedeu lugar para a horizontalidade. O ideal é fazer acontecer os encontro dos diferentes mundos, sem a exclusão e a diminuição do outro. Que o amor seja vitorioso. Bênção! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraço!             

 Leia também
Juventude tem quase 85% de chances de classificação às quartas de final da Série C  


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros