Frei Jaime Bettega é o homenageado do Dia da Cultura e da Paz, que será celebrado quinta-feira em Caxias - Cultura e Tendência - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

União23/07/2019 | 08h30Atualizada em 23/07/2019 | 08h30

Frei Jaime Bettega é o homenageado do Dia da Cultura e da Paz, que será celebrado quinta-feira em Caxias

Data terá programação gratuita voltada para o autoconhecimento e a reflexão no Centro de Cultura Ordovás

Frei Jaime Bettega é o homenageado do Dia da Cultura e da Paz, que será celebrado quinta-feira em Caxias Ricardo Wolffenbüttel/Agencia RBS
Frei Jaime Bettega e a criançada do projeto Mão Amiga Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Agencia RBS

O Dia Municipal da Cultura e da Paz, que Caxias do Sul celebra a cada 25 de julho, terá um dia inteiro de programação gratuita no Centro de Cultura Ordovás. Será a oportunidade para refletir e realinhar corpo e mente, com sessão comentada de cinema, workshop e práticas espirituais voltadas para todos os públicos. Todas as atividades são gratuitas e ocorrem na quinta-feira. 

Como homenageado, a organização escolheu uma das personalidades mais queridas da cidade, além de uma voz atuante na propagação e na promoção da paz: Frei Jaime Bettega. Entre outros projetos sociais, o capuchinho é idealizador do projeto Mão Amiga, que encaminha para escolas particulares crianças carentes que não conseguem vaga no ensino público. No convite, que recebeu no gabinete do prefeito Daniel Guerra, consta sua “expressiva atuação no ensino e na prática a respeito de ações voltadas à comunidade”.

– Sozinho a gente não faz nada, precisamos dos voluntários para seguir com esse trabalho. Por isso, quero agradecer pela homenagem e estendê-la a eles também – destaca o religioso. 

Bettega receberá a homenagem pela manhã, em solenidade que precede o hasteamento da bandeira em frente ao Centro de Cultura. Em anos anteriores, entre outros, receberam a homenagem o juiz Leoberto Brancher (2018), pela atuação no Juizado Regional da Infância e da Juventude; o músico e ecologista Marco Gottinari (2017), pelo ativismo ambiental; o rapper Chiquinho Divilas (2016), pela mensagem de transformação cultural e social que leva às periferias. 

Contexto 

O Dia da paz foi proposto pelo pintor, poeta e professor russo Nicholas Roerich (1874-1935) e é adotado livremente em diversas cidades do mundo como uma forma de relembrar o Pacto de Roerich, assinado na Casa Branca, em Washington (EUA), e que propõe o alcance da paz pela cultura e pela educação. A bandeira da paz, por sua vez, é composta por três esferas que representam a união de todas as artes, de todas as culturas e de todas as religiões.

A bandeira apresenta um círculo, no qual existem três esferas, o que para Nicholas K. Roerich – idealizador do pacto – simboliza a síntese de todas as artes, de todas as ciências e de todas as religiões, dentro do círculo da cultura.

Desde 2009
O Dia Municipal da Paz e da Cultura foi instituído em Caxias do Sul em dezembro de 2009, através de projeto de lei do então vereador Ari Dallegrave (MDB).

Leia também:
Henrique Zattera faz show de lançamento de seu primeiro EP
Agenda: inscrições para concurso literário Pedro Guerra vão até o dia 31
Nivaldo Pereira: a tarefa de Simba
Consultorias de amamentação e sono são tendências que ganham força em Caxias do Sul
Há 50 anos Armstrong, Collins e Aldrin chegavam à Lua a bordo da Apollo 11 


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros