Festival Música de Rua encanta moradores do Euzébio Beltrão de Queiroz neste domingo, em Caxias - Cultura e Tendência - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Cultura28/04/2019 | 19h24Atualizada em 28/04/2019 | 20h11

Festival Música de Rua encanta moradores do Euzébio Beltrão de Queiroz neste domingo, em Caxias

Banda Marcial do Cristóvão de Mendoza foi a principal atração da tarde que ainda teve rap e tradicionalismo

Festival Música de Rua encanta moradores do Euzébio Beltrão de Queiroz neste domingo, em Caxias Antonio Valiente/Agencia RBS
Banda Marcial do Instituto Cristóvão de Mendoza apresentou repertório "flashback' Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Mais do que facilitar o acesso à cultura, levar a arte do centro para a periferia e do palco para as ruas é um exercício de cidadania. Cumprindo com sua premissa, o Festival Música de Rua encerrou neste domingo a primeira etapa de sua oitava edição, no bairro Euzébio Beltrão de Queiroz, em Caxias do Sul. Das 15h às 18h, dezenas de moradores prestigiaram o talento de artistas de hip hop, música tradicionalista e da Banda Marcial do Instituto Cristóvão de Mendoza, que brindou o público com um show em pleno meio da rua Henrique Cia, uma das que dá acesso ao bairro. O restante da programação, que estava prevista para ocorrer na Praça da Esperança, foi realizado no Centro Cultural Beltrão de Queiroz, devido à instabilidade climática no início da tarde.

Com o rapper Chiquinho Divilas fazendo as vezes de anfitrião e mostrando alguns dos talentos emergentes de suas oficinas de hip hop, a tarde começou com as rimas da garotada do coletivo Platina, de Farroupilha. Foi a estreia no palco dos amigos Makley Nunes, 17, Gabriel Diniz, 18, e Maxwell de Oliveira, 21. 

– A gente juntou amigos que frequentavam as batalhas de rima na ferrovia, em Farroupilha, para fazer uma mistura de rap e funk e fortalecer o movimento na cidade. Foi muito da hora poder estrear atendendo a um convite do Chiquinho, que faz tanto por essa cena.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (28/04/2019)Festival Música de Rua no Centro Cultura Beltrão de Queiróz. (Antonio Valiente/Agência RBS)
Rappers do coletivo Platina tiveram a oportunidade de estrear no palcoFoto: Antonio Valiente / Agencia RBS

A sequência teve os jovens do projeto Vozes Divilas, também capitaneado pelo rapper, seguida do duo de acordeons formado pro Arthur Caldaro, 18, e Jorge Santos, 77, neto e avô que compartilham o amor pelo instrumento e apresentam repertório autoral. Ao final, foi a vez da cinquentenária Banda Marcial do Cristóvão, que apresentou o seu repertório flashback, com músicas dos anos 1980 e 1990, incluindo Abba, Shania Twain e até Zezé di Camargo & Luciano. 

– Apresentações como essa são uma oportunidade valiosa de mostrar que a banda não é feita apenas para tocar no dia 7 de setembro, mas sim o ano todo, onde for chamada. O fato de estarmos tocando aqui hoje também é bacana por termos muitos alunos que moram nesse bairro – destaca o maestro Antônio Roberto de Jesus Filho.

A primeira parte do Música de Rua, intitulada Etapa Caxias do Sul, teve 20 apresentações e sete palestras-show distribuídas pelos bairros da cidade, envolvendo mais de 200 artistas e um público próximo a 4 mil pessoas, segundo a organização. A programação segue com a etapa Serra Gaúcha, que terá shows na quarta-feira no complexo Fabbrica, em Caxias, no sábado na Rua Coberta de Bento Gonçalves, e no domingo no estacionamento da UCS, em Caxias.

Leia também:
Nivaldo Pereira: o corpo e as redes
Na cozinha: saiba como fazer nhoque de banana verde ao molho de tomate e melancia
Durante show em Caxias, Branco Mello diz que um dos maiores clássicos dos Titãs teve origem em estradas gaúchas
Associação Cultural Moinho Covolan busca tombamento para garantir preservação de prédio histórico, em Farroupilha
 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros