Frei Jaime: dar e receber  - Cultura e Tendência - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Opinião07/02/2019 | 06h04Atualizada em 07/02/2019 | 06h04

Frei Jaime: dar e receber 

A dinâmica da vida acontece entre o dar e o receber

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

Bom Dia! O sono é sempre insistente, mas é hora de levantar... Um novo dia supõe e requer uma quantidade renovada de esperança... Ninguém sabe o que se sucederá nesta quinta-feira, mas todos nós podemos acreditar que tudo dará certo... Crer no melhor, fazer o melhor! Vamos lá! 

Coragem para se doar, num mundo em que só se pensa em receber.” 

A dinâmica da vida acontece entre o dar e o receber. Todos recebem muito, ao longo dos anos de existência. Mas nem todos fazem a incrível experiência de alcançar algo ou dedicar um pouco de seus dons aos outros. É crescente a cultura da doação: mais uns dias e não faltarão voluntários para as questões que estampam cruelmente a vulnerabilidade. Pensar somente em si ou guardar mais do que o necessário, deixaram de ser traços aceitáveis pela convivência social. Pessoas gananciosas se auto excluem até mesmo da própria família. 

O material sempre será necessário, mas o apego já é dispensável. Outro perfil que não tem mais nenhuma aceitação nas diferentes rodas de convivência é aquele que tenta levar vantagem em tudo. A humanidade está se dando conta de que é possível viver de um outro jeito, experimentando a leveza e a sinceridade, de coração para coração, a partir do exercício da doação. Quem escolhe atuar na diminuição da dor alheia, colhe muitas alegrias, mas paga também um elevado preço. 

Fazer o bem tem um custo, ser bom é algo exigente, mas que vale a pena. Muitas pessoas não foram educadas para prestar ajuda, cresceram com a pretensão de serem somente ajudadas. Além disso, auxiliar quem não quer se ajudar é uma tarefa que supõe vigor e determinação. A vida se plenifica quando cada pessoa faz por si mesma o melhor. A ajuda recebida ou dada não dispensa a questão do protagonismo: o papel primordial, em relação à própria existência, não vem dos outros, mas de si mesmo. 

Ajudar o próximo é a faceta luminosa e caridosa do amor. É difícil encontrar alguém que faça o bem, de coração, que seja triste. Pelo contrário, ajudar é algo superior e mágico, uma alegria mais intensa do que a oportunidade de receber algo. Fazer o bem é uma missão que acalma o coração. Bênçãos! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraço!         

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros