Saiba o que fazer em caso de lesão provocada por água-viva - Cultura e Tendência - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Saúde04/01/2019 | 14h52Atualizada em 04/01/2019 | 20h34

Saiba o que fazer em caso de lesão provocada por água-viva

Velhas conhecidas de quem frequenta o litoral gaúcho, mães-d'água atacaram mais de 28 mil banhistas desde o início da Operação Verão

Saiba o que fazer em caso de lesão provocada por água-viva Patricia Philipps/divulgação
Foto: Patricia Philipps / divulgação

 CORREÇÃO: o Corpo de Bombeiros registrou mais de 28 mil casos de queimaduras de águas-vivas desde o início da Operação Verão, e não 25 mil no feriadão de Ano-Novo. A informação incorreta permaneceu publicada entre  14h52min e 20h31min do dia 4 de janeiro de 2019. 

Somente durante a Operação Verão, de 15 de dezembro de 2018 ao dia 1º de janeiro, quando milhares de gaúchos foram ao litoral, o Corpo de Bombeiros registrou mais de 28 mil casos de ferimentos por águas-vivas. Também conhecidas como mães-d’água ou medusas, esses animais marinhos quase transparentes já são velhos conhecidos dos banhistas. Quando entram em contato com a pele, seus tentáculos liberam uma toxina capaz de provocar a sensação de queimadura — o acidente, no entanto, é tratado como envenenamento.

Mas, o que fazer em caso de ferimento? A dermatologista Cristiane Knob Horbach recomenda, em primeiro lugar, sair da água assim que sentir a dor. Ela diz que a maior parte dos incidentes não é grave e pode ser tratada ainda na beira da praia:

— A pessoa precisa verificar se algum filamento da água-viva ficou grudado na pele e tentar remover, sempre com o cuidado de usar luvas ou algum objeto que proteja para não machucar as mãos no contato. Também é recomendado buscar uma guarita de salva-vidas, onde geralmente tem kit de primeiros-socorros. Aplicar vinagre é uma boa opção, pois tem acido acético, que neutraliza a toxina — lista Cristiane.

Para facilitar a vida de quem vai curtir as férias na praia, organizamos uma lista do que fazer em caso de envenenamento por água-viva – e também aquilo que não é recomendado. Confira:

O que fazer
:: Saia da água imediatamente:
assim você evita novos ferimentos e pode iniciar o tratamento.
:: Aplique vinagre: além de neutralizar a toxina, o vinagre ameniza a ardência na região atingida.
:: Busque abrigo na sombra: os raios de sol podem piorar a lesão e causar manchas na pele.
:: Procure ajuda: em caso de dificuldade para respirar, desorientação ou lesões visivelmente graves, busque ajuda na guarita de salva-vidas mais próxima. Você também pode acionar o Samu (192) ou o Corpo de Bombeiros (193).

O que NÃO fazer
:: Lavar com água corrente:
a água doce pode espalhar a toxina pelo corpo.
:: Urinar na queimadura: a ureia, substância presente na urina, pode agravar o ferimento.
:: Passar areia ou pasta de dente: isso também pode aumentar a lesão.
:: Retirar os tentáculos grudados na pele com a mão: você corre o risco de se machucar ainda mais. Uma alternativa é remover os filamentos com auxílio de uma pinça, sempre usando luvas.

Leia também:
Confira a programação cultural para este fim de semana
Férias também são momento para estimular o desenvolvimento infantil
GloboNews exibe filme sobre cartunista Henfil

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros