Frei Jaime: faz toda a diferença  - Cultura e Tendência - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Opinião 15/01/2019 | 06h00Atualizada em 15/01/2019 | 06h00

Frei Jaime: faz toda a diferença 

 A vida é realmente surpreendente. Um instante é suficiente para proporcionar ânimo, renovar a esperança e delinear novos caminhos.

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

Bom Dia! Acordando aos poucos... agradecido por este novo dia... Chegando ao término da primeira quinzena de janeiro... Dias mais leves, mais encontros... o ritmo de férias é provocador de diferentes alegrias. Com vibração vamos acolher essa terça-feira! Vamos lá!

 “Eu me dou as mãos. Nunca me arrasto, me puxo. Eu me acompanho. Isso faz toda a diferença no resultado final.” (Matheus Rocha).

 A vida é realmente surpreendente. Um instante é suficiente para proporcionar ânimo, renovar a esperança e delinear novos caminhos. O ponto de partida, porém, é justamente o modo como cada um convive consigo mesmo. Dar a mão para os outros é mais fácil do que dar para si mesmo. O mesmo é possível afirmar em relação à companhia: ser uma ótima presença para si mesmo é um tanto exigente, mas iluminador. Fazer muito para os outros e pouco para si, pode desencadear um processo de esvaziamento existencial. O equilíbrio, em tudo, é a melhor estratégia, a opção mais adequada. 

Não convém ficar se arrastando de um lado para o outro. A vida tem um valor incalculável. Quem atribui esse valor não são primeiramente os outros. É necessário autovalorizar-se, sem deslizar no egocentrismo. A própria solidão pode tornar-se uma oportunidade ímpar, de profunda convivência consigo mesmo. Você ser uma boa companhia para você mesmo: é simplesmente extraordinário, edificante, empolgante. O mundo parece estar repleto de pessoas que ‘não se puxam’. Nem todos sentem-se responsáveis pelo próprio sucesso ou, também, pelo fracasso. Achar culpados é muito fácil, até cômodo. 

Mas não resulta em ganhos, quanto ao crescimento e à realização. Dar a mão para si mesmo é até comovente, pois permite que uma força perpasse o ser e expulse a escuridão das dúvidas e das incertezas. Ninguém deveria sair desacompanhado. Caminhar sem a própria companhia é abrir espaço, para que a insegurança provoque inúmeros tropeços. Então, para que a vida seja mais leve e o processo existencial tenha maior significância, é importante estar de bem consigo mesmo e não se importar tanto com a opinião alheia. O resultado final não depende dos outros, mas do esforço pessoal e, acima de tudo, da persistência. Bênçãos! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraço!         

Leia também:
Preço médio da gasolina em Caxias cai pela 12ª semana seguida
Nova licitação inclui exigência de construção de café externo no Parque dos Pinheiros de Farroupilha

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros