Nivaldo Pereira: sagitário e o otimismo - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 

Opinião30/11/2018 | 14h12Atualizada em 30/11/2018 | 14h36

Nivaldo Pereira: sagitário e o otimismo

Todas as experiências conhecidas, de todos os tipos, são por ele processadas, em busca de uma ordem mental superior

Nivaldo Pereira: sagitário e o otimismo Fredy Varela  / Divulgação /Divulgação
Foto: Fredy Varela / Divulgação / Divulgação
Nivaldo Pereira
Nivaldo Pereira

nivaldope@uol.com.br

Já pensou o que seria de nós, bichos humanos, sem a capacidade de dar sentido às experiências vividas? Depois de sucessivos bofetões do sofrimento e de contínuas perdas, a descrença e o pessimismo seriam sentimentos comuns em nosso cotidiano. E já que a morte é inevitável, como bem mostrou Escorpião, então que cada um invoque seus instintos selvagens para sobreviver na arena sem ética do salve-se quem puder. Mas eis que, da gruta dos mistérios escorpianos, sai um ser híbrido de homem e cavalo. É um mitológico centauro. Ele olha para o alto e aponta sua flecha. Estamos na vibração de Sagitário, a energia do entusiasmo que dá sentido ao existir.

Sagitário conjuga a potência instintiva do cavalo com a inteligência reflexiva do homem. Todas as experiências conhecidas, de todos os tipos, são por ele processadas, em busca de uma ordem mental superior. Sagitário e seu complemento, Gêmeos, gostam de perguntas e de narrativas explicativas. O centauro, então, inventa a filosofia, quando indaga: quem sou eu? Inventa a religião, quando questiona: quem nos criou e para quê? Define leis que organizem a sociedade em hierárquicas ordens imaginadas, indo da moral à ética, da educação à justiça. Enfim, propõe estruturas para os mundos, apesar do risco do dogma. E tudo passa a ter sentido.

Sagitário expressa o otimismo e a autoconfiança do elemento fogo, aqui em ritmo mutável. O lado cavalo quer correr livre. Sem freios nem limites, quer a aventura da descoberta, a graça da conquista, o gozo da celebração. A vida é para ser bem vivida, sem economizar. Já o lado arqueiro olha para cima e para além, mirando uma ordem cósmica protetora. Para que preocupação, se tudo sempre acaba como deve acabar? Sagrado ou profano, mas cheio de convicções, segura na mão de Deus ou do acaso e vai, nem aí para o baixo astral.

Em todos nós, Sagitário é a força expansiva que nos impele a seguir com entusiasmo e alegria, apesar dos pesares. A vida deve ser grandiosa. Tudo há de dar certo. Se não der... ora, valeu ter tentado. Tente outra vez! E sorria, meu bem, sorria, que a fé não costuma “faiá”.

Leia também:
Secretário da Cultura diz que não trabalha com hipótese de Financiarte ter investimento maior
3por4: Studio Camila Oliveira homenageia Aretha Franklin no MDBF 2018
3por4: Designer de joias Fabiane Montemezzo mostra coleção Oh Céus em Caxias

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros