Frei Jaime: visitar o silêncio - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 

Opinião07/11/2018 | 05h00Atualizada em 07/11/2018 | 05h00

Frei Jaime: visitar o silêncio

A vida é marcada pelo mistério, ao ponto de ter que ser decifrada em cada situação existencial

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

Bom Dia! Os movimentos vão sendo harmonizados... a claridade vai ocupando todos os espaços... é hora de erguer-se e reunir o necessário ânimo para abraçar essa quarta-feira, que chega prometendo muito... Alegria e paz no coração: esse combustível não pode faltar! Vamos lá! 

"Estamos tão acostumados a nos esconder dos outros, que terminamos nos escondendo de nós mesmos." (La Rochefoucald). 

Leia mais
Frei Jaime: do saber ao sabor 
Frei Jaime: o pulsar do coração

A vida é marcada pelo mistério, ao ponto de ter que ser decifrada em cada situação existencial. O autoconhecimento é uma tarefa importantíssima, mas muito exigente. Desvendar-se é uma imposição que favorece a construção do ser. Um pouco de anonimato até que faz bem. De tempos em tempos é necessário ser percebido pela ausência, pelo afastamento e pela distância. Retirar-se para refazer-se é algo urgente e, ao mesmo tempo, estratégico. Não faz bem estar em tudo e em todos os lugares. Visitar o silêncio para recompor algumas melodias existenciais faz um bem enorme. 

O simples ato de ficar em casa e contemplar a própria residência é sinônimo de descanso, de contemplação, de intimidade. Estar excessivamente no movimento, no ruído e na agitação tem um preço, em todos os sentidos: o desgaste físico, emocional e espiritual. Não basta algumas horas de sono para refazer-se das exigências e preocupações. A harmonia deve ser restabelecida e isso só acontece no silêncio e no encontro com o ‘eu interior’. O cotidiano é simplesmente admirável, pois nele acontece de tudo. Quanta gente trocando de calçada para não se encontrar com determinadas pessoas. 

Quantos telefonemas ficam sem êxito, porque do outro lado tem alguém que não quer conversar. O esconde-esconde não é só uma brincadeira, é uma realidade diária. Um bom número de pessoas vive se escondendo dos outros. Uma possível consequência: de tanto se esconder dos demais, acaba escondendo-se de si mesmo. Retirar-se, entre um acontecimento e outro, é uma opção saudável. Esconder-se é uma fuga, um desconforto, uma estratégia que afasta paz. A vida é feita de descobertas e de encontros. Que o bem senso equilibre o espaço existente entre a excessiva exposição e a própria reclusão. 

Bênção! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraços!  

Leia também
3por4: Confira fotografias assinadas por Javier Paquito Herrera expostas no MARGS
Agenda: trio curitibano Tuyo faz show em Caxias neste sábado

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros