Caxias sediará biblioteca infanto-juvenil com mais de 5 mil obras - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 

Literatura05/11/2018 | 08h00Atualizada em 05/11/2018 | 08h00

Caxias sediará biblioteca infanto-juvenil com mais de 5 mil obras

Instituto de Leitura Quindim (ILB) abre as portas dia 30 de novembro, no Moinho da Cascata

Caxias sediará biblioteca infanto-juvenil com mais de 5 mil obras Lucas Amorelli/Agencia RBS
Idealizador do projeto, Volnei Canônica defende poder da leitura para formação de cidadãos mais conscientes Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

— A literatura é tão forte quanto um rinoceronte e tão doce quanto um quindim.

O escritor Volnei Canônica não conteve um largo sorriso de satisfação ao apresentar o mascote do Instituto de Leitura Quindim (ILQ), espaço dedicado à literatura infanto-juvenil que abre as portas no dia 30, junto ao Centro Cultural Moinho da Cascata, em Caxias. Além de abrigar uma biblioteca inclusiva com mais de 5 mil livros — o acervo reúne títulos nacionais e estrangeiros, escolhidos por especialistas —, o complexo também contará com uma livraria e um centro de estudos e pesquisas para assuntos relacionados à infância e juventude. O convite para ocupar o Moinho da Cascata foi do Grupo Teatral Ueba.

Canônica, que já foi diretor do Departamento do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Ministério da Cultura (MinC), afirma que o Instituto Quindim nasce com objetivo de repensar o “ecossistema do livro”, com foco em crianças, adolescentes e jovens. Ele será, ainda segundo Canônica, um espaço que vem para aprimorar as ações que o Centro de Leitura Quindim realizava desde 2014. O ILQ terá como vice-presidente o escritor e ilustrador Roger Mello e direção da professora Luiza Motta, que já coordenou diversas feiras do livro em Caxias.

— O leitor está no centro desse ecossistema e tudo o que diz respeito ao livro e à leitura orbita ao redor do leitor, seja o mercado editorial, os promotores de leitura, as bibliotecas públicas e escolares. A gente quer formar um leitor crítico, cidadão, alguém capaz de olhar pra esse ecossistema e transformá-lo.

Sem patrocinadores ou recursos públicos, a sede do ILQ se tornou viável graças às parcerias: o projeto arquitetônico, por exemplo, foi oferecido pela arquiteta caxiense Jéssica De Carli, enquanto a ONG Mais Diferenças colaborou para fazer as adaptações de acessibilidade. Para ajudar no custeio da instalação (ele não fala sobre o custo das obras e da concepção) e nas despesas mensais, Canônica pensa em criar, futuramente, uma vaquinha virtual. Segundo ele, tudo foi projetado e pensado para ser referência em inclusão, preservação da memória afetiva do patrimônio histórico, além, é claro, da formação de novos leitores.

Morando há 10 anos no Rio de Janeiro, o presidente do Instituto Quindim, que também é ator, diretor de teatro e relações públicas, não titubeou ao ser questionado dos motivos que o levaram a escolher Caxias do Sul para sediar o projeto.

– Além de devolver um pouco dessa dívida pessoal com a minha cidade, eu percebo que Caxias tem um potencial muito grande na área turística e cultural. Eu vejo aqui um solo fértil para projetos na área do livro e da leitura. Também percebo que é preciso incentivar iniciativas fora do eixo formado por Rio, São Paulo e Minas Gerais.

Para ajudar: O Instituto de Leitura Quindim é uma entidade sem fins lucrativos e busca recursos para se manter. Para saber como ajudar, entre em contato pelos telefones (54) 3028-8192 e 3028-8194.

PROGRAME-SE
O quê:
inauguração do Instituto de Leitura Quindim (ILQ). Haverá diversas atrações, como um bate-papo sobre um panorama do livro e da literatura no Brasil e as exposições Monstros no Cinema e Um Rinoceronte Amarelo pelo Mundo. A programação completa será divulgada em breve.
Quando: 30 de novembro.
Onde: Centro Cultural Moinho da Cascata (Rua Luiz Covolan, 2.820), em Caxias do Sul.
Funcionamento a partir do dia 30: de quarta a domingo, das 10h às 19h, com entrada gratuita.

Leia também:
Projeto RAPajador mistura hip hop e cultura gaúcha em Caxias
3por4: novas obras de Vivi Pasqual estarão expostas em Caxias a partir do dia 13
Com vida útil de 3 minutos, canudos de plástico estão na mira das campanhas ambientais

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros