Nivaldo Pereira: perdas e ganhos - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 

Opinião26/10/2018 | 13h27Atualizada em 26/10/2018 | 16h33

Nivaldo Pereira: perdas e ganhos

Quem vai ganhar? Quem vai perder

Nivaldo Pereira: perdas e ganhos Rodolfo Guimarães/
Foto: Rodolfo Guimarães
Nivaldo Pereira
Nivaldo Pereira

nivaldope@uol.com.br

Quem vai ganhar? Quem vai perder? O Sol já transita por Escorpião, signo oposto a Touro, com o qual forma um eixo temático associado a valores. Ganhar e perder são instâncias desse eixo e evocam a relação entre a matéria taurina e a essência escorpiana. São condições indissociáveis do milagre da vida em seu mistério.

 Leia mais
Nivaldo Pereira: um retrato da paz
Nivaldo Pereira: a etiqueta libriana 

Se observarmos os seres que ilustram os signos do zodíaco, o touro é o mais robusto e pesado, enquanto o escorpião parece o mais frágil, por ser o menor. Mas que as aparências não iludam: o ferrão venenoso na cauda do lacrau pode aniquilar o touro. A matéria é necessária, mas não passa de um estágio em um processo maior, de pura energia em transformação. O que é permanente na vida é seu eterno movimento de nascer, crescer, morrer e, quiçá, renascer. Ganha-se e perde-se, mas a vida continua.

Escorpião é signo fixo de água, conectado a instintos de sobrevivência. Em contraposição à estabilidade confiante de Touro, Escorpião desconfia, questiona o que vê e instaura crises, em busca do âmago das coisas. E crises são pequenas mortes em que enfrentamentos e desapegos necessários abrem espaço para a renovação, a cura e o encontro da real essência.

Diante de uma crise coletiva em que se revelam emoções e atitudes chocantes e tudo parece sombrio e desolador, Escorpião é a força realista que encara os fatos e conclui: isso sempre esteve aí, oculto e reprimido; se não viesse à tona, jamais seria enfrentado e muito menos curado. Daí tece estratégias silenciosas de superação das circunstâncias.

Não parte para o confronto direto, como faria Áries, igualando-se em armas ao que deseja combater. Se aprendeu com Libra, o signo anterior, que a melhor vitória é a conciliação em paz, então transmuta as diferenças em antídoto e pode conduzir os oponentes a uma visão mais justa e humana, transformando-os. Mas, se o instinto for mais forte que a razão, um certo veneno de vingança o guiará.

Seja como for, Escorpião sabe esperar e resistir, como no fundo da terra a semente, aparentemente morta, espera a força necessária para brotar em vida nova.

Leia também
Pedro Guerra: seja um escorpião e não um dinossauro
Nova edição do projeto Leia Mulheres ocorre neste sábado, no Taru 
Inscrições para oficinas do 9º Caxias em Movimento encerram nesta sexta

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros