Frei Jaime: o exercício do perdão - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 

Opinião12/09/2018 | 05h00Atualizada em 12/09/2018 | 05h00

Frei Jaime: o exercício do perdão

A maioria das pessoas acaba, em algum momento, afirmando: 'se fosse hoje, jamais teria feito aquilo.'

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

Bom Dia! O amanhecer é sempre portador de esperança... Recomeçar é um grande privilégio... Estar vivo é uma dádiva... Não faltam motivos para agradecer e arregaçar as mangas... Então, ânimo e paz! 

"Se perdoe. Não tinha como você pensar naquela época com a cabeça que tem hoje."

A maioria das pessoas acaba, em algum momento, afirmando: 'se fosse hoje, jamais teria feito aquilo.' O passar dos dias proporciona conscientização e maturidade. Quando o passado é insistente em apresentar determinados fatos, é importante saber exercitar o perdão. Só não foi feito diferente, no ontem, é porque não havia o entendimento alcançado no hoje. A dificuldade de dar a si mesmo o perdão, pode atrapalhar a serenidade do viver. Quem não é capaz de perdoar-se, também terá dificuldade em perdoar os demais. Toda falta de perdão gera, consequentemente, a falta de paz. 

Perdão e paz andam de mãos dadas, trocam afetos e favores. Algumas feridas acompanham a trajetória humana e aguardam pela cicatrização. Recordar o passado é muito fácil, serenar e aceitar ser impossível modificar determinadas situações é uma escolha. O perdão sempre foi exigente. Algumas pessoas até perdoam os outros, mas quando se trata de ofertar carinhosamente o perdão a si mesmo, as dificuldades e desculpas se multiplicam. O sentido da vida está na leveza que pode ser experimentada, a partir da paz interior. 

Não tem como voltar ao passado e apagar determinados fatos e acontecimentos. Porém, é possível olhar para certas situações e compreender que do pior sempre pode brotar coisas melhores. Os momentos alegres ensinam muito, mas as dores também são capazes de inesquecíveis lições. É inútil ficar recordando, a todo instante, certos fatos, achando ser possível fazê-los desaparecer. A vida precisa seguir em frente, virando páginas, idealizando recomeços e celebrando o aprendizado. Permita-se o perdão, uma nova criatura ressurgirá.

Bênçãos! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraços!      

Leia também:
3por4: Escritores de Caxias do Sul são patronos em feiras do livro na Serra
Paulo Ribeiro lança novo romance nesta sexta, em Caxias 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros