Conheça a história do canederli, receita nascida na Alemanha e herdada por imigrantes italianos - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 

Pitadas de Sabor08/06/2018 | 15h40Atualizada em 08/06/2018 | 16h14

Conheça a história do canederli, receita nascida na Alemanha e herdada por imigrantes italianos

Almanaque lança projeto gastronômico de resgate de pratos que marcam a nossa história

Conheça a história do canederli, receita nascida na Alemanha e herdada por imigrantes italianos Marcelo Casagrande / Agência RBS/Agência RBS
O prato tem origem no contexto da Segunda Guerra Mundial, quando, por necessidade, as sobras de pão, queijo, salame e especiarias davam origem a uma sopa Foto: Marcelo Casagrande / Agência RBS / Agência RBS

A história da gastronomia prova que toda receita expressa uma personalidade em seu tempo. Um prato não traz consigo apenas aroma, textura e sabor. Assim como um documento, ele é também retrato de uma época e guarda, por trás da escolha dos ingredientes e das condições de seu preparo, a trajetória e o processo de formação de um povo e de um tempo. 

Com essa consciência, de que a história também pode ser contada a partir daquilo que comemos e cozinhamos, o Almanaque estreia a série Pitadas de Sabor. Até novembro, um sábado por mês, o projeto mostrará receitas históricas que marcam a gastronomia da Serra.

Na primeira reportagem, contamos a história do canederli (pronuncia-se canéderli), receita tradicional nascida na Alemanha e herdada por imigrantes italianas, especificamente da região do Tirol. 

O prato tem origem no contexto da Segunda Guerra Mundial, quando, por necessidade, as sobras de pão, queijo, salame e especiarias davam origem a uma sopa. A receita une os ingredientes em forma de bolinhas. Em tradução literal, canederli significa "bolinhas de pães".

Claire Demori e a filha Vanessa compartilham a tradição do canederliFoto: Marcelo Casagrande / Agência RBS

Em Caxias do Sul, mais especificamente em uma acolhedora casa na 6ª Légua, essa tradição sobrevive. Pelas mãos de dona Claire Modena Demori, 64 anos, o canederli, também conhecido por algumas famílias italianas como calendre, alimentou a família Demori durante muito tempo. 

Hoje, Vanessa, 35, uma das filhas de Claire, não só sabe fazer a receita como pretende passá-la adiante. Uma bonita e saborosa herança.

– A receita foi criada durante a guerra, quando militares não patriotas foram, um dia, em uma cidade e disseram que se não tivessem nada para comer colocariam fogo nas casas. Isso na Alemanha. Um dos donos da propriedade resolveu então reunir tudo o que tinha na casa: pão velho, queijo, speque (uma espécie de copa), farinha e ovo. Amassaram tudo aquilo e fizeram as bolas. Depois cozinharam um brodo e a sopa nasceu – explica Vanessa.

Em tradução literal, canederli significa "bolinhas de pães"Foto: Marcelo Casagrande / Agência RBS

Claire aprendeu a fazer o prato aos 18 anos, observando a mãe e outros parentes cozinharem, e passou a tradição adiante:

– A gente não tinha tanta coisa como agora. Tínhamos um pouco de carne de porco, e a criatividade fazia o resto. Eu fazia só em casa, para a minha família. Depois, passei para a minha filha. 

Atenta à panela no fogo, Claire explica uma etapa essencial: o prato só está pronto quando as bolinhas sobem e flutuam na água. Esse cuidado com a comida revela também uma memória afetiva em torno do prato. 

Mais do que uma sopa, o canederli preparado na casa de dona Claire guarda a lembrança de parte de sua vida e daqueles que vieram antes. E isso faz toda a diferença no sabor da iguaria. Outrora, a sopa nasceu da necessidade e da criatividade. Hoje, ela sobrevive pelos laços de uma tradição que, se depender da família Demori, não será esquecida por um longo tempo. 

COOKSHOW

Alguns leitores poderão aprender, ao vivo e a cores, a fazer o canederli. O projeto Pitadas de Sabor, realizado pelo Pioneiro e com patrocínio do Empório Nova Aliança, além da história e das receitas no papel e, em vídeo, no digital, tem também um evento. O primeiro cookshow do Pitadas ocorre na próxima sexta-feira, dia 15, às 19h, na Escola de Gastronomia Sal a Gosto, em Caxias do Sul. Na aula, os participantes aprenderão a preparar a receita original, ensinada por dona Claire Módena Demori, e também uma versão contemporânea, criada pelo chef Gabriel Lourenço.

Para participar, publique uma foto apetitosa de uma receita de família no Instagram usando a #pitadasdesabor e contando um pouco da história do prato e por que ele é tão especial. Os autores das três melhores imagens garantem uma vaga com acompanhante para a aula. Serão avaliadas apenas as fotos postadas até as 23h59min do dia 12 (terça-feira).  Confira aqui o regulamento do concurso 

Confira a receita

O prato está pronto aproximadamente cinco minutos depois que as bolinhas subirem à superfícieFoto: Marcelo Casagrande / Agência RBS

Ingredientes

300g de farinha de rosca
óleo para fritar e untar as mãos
200g de queijo ralado
4 ovos
1 salame fresco
1 peito de frango
1 cebola
1 dente de alho
noz-moscada ralada na hora
4 colheres de farinha de trigo para engrossar a massa
salsão, cenoura e cebola para o caldo
sal a gosto

Modo de preparo

1. Refogue a cebola em um pouco de óleo até dourar.

2. Adicione o frango e deixe cozinhar.

3. Em outra panela, frite o salame.

2. Triture o salame e o frango cozidos e misture com o restante dos ingredientes até obter a consistência ideal para formar as bolinhas.

5. Com um pouco de óleo na mão, forme bolinhas de aproximadamente 50 gramas cada. 

6. Em uma panela, esquente água entre 80°C e 90°C e cozinhe junto com o salsão, a cenoura e a cebola. Desligue aproximadamente cinco minutos depois que as bolinhas subirem à superfície.

7. Sirva.

Leia também
Caxienses do Two Step Flow lançam música nova nesta sexta
Exposição "Inspire... Então Expire!", da artista Glaucis de Morais, abre nesta sexta, no Ordovás
Confira a Revista Noivas encartada no Pioneiro desta sexta-feira

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros