Cetec Festival apresenta 12 peças produzidas e contracenadas por alunos em Caxias  - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 

Da sala para os palcos 26/06/2018 | 08h00Atualizada em 26/06/2018 | 08h00

Cetec Festival apresenta 12 peças produzidas e contracenadas por alunos em Caxias 

Evento cultural inicia nesta terça-feira e segue até a sexta no UCS Teatro

Cetec Festival apresenta 12 peças produzidas e contracenadas por alunos em Caxias  Felipe Nyland/Agencia RBS
Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS

Uma vez por ano, os alunos da Escola de Ensino Médio e Técnico Cetec UCS saem das atividades diárias da sala de aula para ganhar o protagonismo em cima dos palcos. Com 23 anos de história, o Cetec Festival começa nesta terça-feira com a proposta de recontar 12 histórias já conhecidas (ou não) do público. Tudo, é claro, com uma dose extra de criatividade e união das turmas de ensino médio. As apresentações ocorrem até sexta, no UCS Teatro, às 19h.

As peças que serão conferidas pelo público são o resultado de um trabalho de quatro meses dos jovens atores e diretores a partir da temática "Porque essa história merece ser contada". A inspiração deste ano surgiu da reportagem do jornalista Rodrigo Lopes sobre Anoema da Costa Lima, uma das sobreviventes da explosão da Metalúrgica Gazola há 75 anos, cuja existência era desconhecida da maioria das pessoas. A matéria foi publicada em janeiro no Almanaque.

— A reportagem nos trouxe essa ideia de que a história não é constituída só por grandes feitos, mas também por pequenas coisas que nós fazemos pela sociedade — ressalta a professora Liliane Viera Costa, coordenadora artística do festival.   

As histórias apresentadas pelos mais de 400 alunos não têm compromisso com a realidade, por mais que algumas tragam nomes bem conhecidos, como os músicos Freddie Mercury e Cazuza, e a artista mexicana Frida Kahlo.

— As apresentações estão muito diversificadas. Os estudantes são pautados com histórias que envolvem desde políticas públicas, como a de um jovem pobre, até a trajetória de Freddie Mercury, que não é contemporâneo deles. Mas tudo com uma licença poética, sem seguir à risca a biografia. O processo é deles. A gente (professores) observa e auxilia quando necessário — explica a docente.

Entre um espetáculo e outro, no vai e vem atrás das cortinas, o público será entretido com esquetes teatrais e apresentações musicais, também preparadas e apresentadas pelos estudantes. Cada espetáculo dura cerca de 30 minutos.

— A gente se sente muito conectado com as pessoas e acho que isso é o mais importante. Durante o ano, temos o contato com os colegas e é maravilhoso. Mas é muito bom chegar nessa semana de apresentações, quando interagimos com as outras turmas. É como se fosse uma família — ressalta a aluna do terceiro ano Eduarda Fronza Nagildo, 17 anos.

Além de toda a relevância pedagógica e cultural, essa edição do festival terá uma novidade de caráter solidário: cada ingresso adquirido será revertido em um quilo de alimento. As doações serão encaminhadas ao Banco de Alimentos de Caxias do Sul.

Quem não conseguir assistir aos espetáculos no UCS Teatro, poderá acompanhar pela página Cetec no Facebook. As transmissões serão ao vivo durante as quatro noites.

PROGRAME-SE 

O que: 23º Cetec Festival.

Quando: de hoje até sexta, a partir das 19h. Na quarta-feira, as peças se iniciam às 20h.

Onde: UCS Teatro.

Quanto: a entrada custa um quilo de alimento não perecível, mas é preciso reservar o convite pelo telefone (54) 3218-2278.

Leia também
3por4: Banda Marenna lança clipe gravado ao vivo
Nivaldo Pereira: na casa canceriana
De Manta e Cuia: como as baixas temperaturas influenciam no modo como vivemos  

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros