Nivaldo Pereira: Abalar para mudar - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 

Opinião11/05/2018 | 15h13Atualizada em 11/05/2018 | 15h13

Nivaldo Pereira: Abalar para mudar

Os tempos são outros (os ódios também), mas a velha incerteza já abala as estruturas de produção e a seguridade

Nivaldo Pereira: Abalar para mudar Charles Segat/Charles Segat
Foto: Charles Segat / Charles Segat
Nivaldo Pereira
Nivaldo Pereira

nivaldope@uol.com.br

Novidade no céu: no próximo dia 15, inicia-se um ciclo astrológico que vai até 2026. Urano, planeta das revoluções e inovações, ingressa no signo de Touro. O longo tempo desse trânsito o conecta a mudanças de impacto coletivo, como também o são os movimentos de Netuno e Plutão. Ao sinalizar rupturas radicais de padrões antigos, num processo em que instabilidades e rebeliões fazem emergir uma nova consciência social, como seria o irreverente e transgressor efeito de Urano sobre os temas do terrestre e firme signo de Touro?

Um modo de avaliar isso é observando o ciclo anterior de Urano por Touro, de 1934 a 1942. Havia uma tensão entre Urano e Plutão desde 1929, quando se iniciou a grande crise do capitalismo com a quebra da bolsa de Nova York. Foram anos de caos econômico, que levaram a políticas duras e radicais – ainda em 1934, Hitler assumiu o poder total na Alemanha! Ditaduras austeras pareciam a saída contra o caos. Há perigosos reflexos dos aspectos daquela época no céu de agora. Urano e Plutão, de novo, estiveram em longa tensão. Ok, os tempos são outros (os ódios também), mas a velha incerteza já abala as estruturas de produção e a seguridade.

É de supor que o tema geral dos valores, com ênfase no dinheiro, deva ser ressignificado, abrindo espaço para o alternativo e o criativo. Assim, formas independentes e sustentáveis de produção e trabalho ganham força. E isso já não combina com consumismo desenfreado. Em nível pessoal, o bem-estar se fortalece como premissa de vida.

A terra, seus recursos e potenciais – temas taurinos – recebem novas abordagens, entre a ciência e a consciência humanitária. Questões agrárias (vide agrotóxicos) e de ocupação de espaços físicos podem chegar a violentos extremos, visando outras possibilidades de uso.

Inicialmente, os elétricos ventos uranianos de liberdade e mudanças vão sacudir de forma mais intensa os taurinos, leoninos, escorpianos e aquarianos do começo dos signos. No bom aspecto com Saturno, disciplina e suor podem viabilizar originais projetos de emancipação.

Leia Também:
Nivaldo Pereira: Signos e clichês
Tríssia Ordovás Sartori: Microcosmo sociedade 
Confira o que vai ser tendência neste inverno Confira duas saborosas receitas para preparar com pinhão
Pedro Guerra: Estou ficando louco

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros