Atividade que convida comunidade a dançar de improviso, "Jam Session" ocorre quarta, em Caxias - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 

Dança03/04/2018 | 08h00Atualizada em 03/04/2018 | 08h59

Atividade que convida comunidade a dançar de improviso, "Jam Session" ocorre quarta, em Caxias

Cia. Municipal de Dança convida para performance que não requer experiência em cima dos palcos

Atividade que convida comunidade a dançar de improviso, "Jam Session" ocorre quarta, em Caxias Junior Alceu Grandi/Divulgação
Performance interativa será mediada pelo bailarino da Cia. Municipal de Dança, Foto: Junior Alceu Grandi / Divulgação

Na música, o termo jam session corresponde a uma reunião informal entre músicos, que na maioria das vezes tocam em conjuntos diferentes, e que se reúnem para improvisar juntos no palco. É muito comum no jazz e no blues, principalmente. A Jam Session que a Cia. Municipal de Dança propõe amanhã, em sua segunda edição, é uma interação parecida, na qual pessoas com ou sem experiência de tablado poderão colocar o corpo em movimento e em contato com outros corpos.  Marcada para as 18h30min na sede da Unidade de Dança no Centro de Cultura Ordovás, a única recomendação para os participantes é ir com roupas confortáveis. 

Mediado pelo bailarino Junior Alceu Grandi, membro da Cia., o encontro tem como inspiração uma técnica característica da dança pós-moderna, chamada Contato Improvisação (CI). É um convite a pessoas que queiram explorar as possibilidades do próprio corpo e se colocar em contato com outras através da dança, que não necessariamente envolve música. Grandi explica que na primeira edição um participante levou um pandeiro e marcou o ritmo da jam, mas a técnica pode prescindir da música:

 Agende-se
O quê
: Jam Session, da Cia. Municipal de Dança
Quando: Amanhã, às 18h30min
Onde: Unidade de Dança da Secretaria Municipal de Cultura, no Centro de Cultura Ordovás
Quanto: Entrada gratuita
Mais informações: (54) 3901.1316 

— Contato Improvisação é um movimento de dança, mas também uma cultura. Assim como o hip hop, por exemplo, envolve uma maneira de pensar. E a jam faz parte dessa cultura. Não tem música mecânica porque a ideia não é que a gente seja guiado por nada, mas que possa um influenciar o movimento dos outros. Mas é interessante quando há participação de músicos, porque ele também são influenciados. O convite é para todos, inclusive para quem quiser ir só assistir. Só entra para dançar quem estiver à vontade.

Grandi acrescenta que, embora se trate de uma dança, e não de uma terapia, a simples experiência do toque com o corpo alheio provoca sensações benéficas para a mente. 

— Como é uma dança que se baseia no contato, também há uma questão afetiva, que não necessariamente é algo de carinho ou romântico. O simples fato de estar tocando o corpo de outro envolve um fenômeno interessante — acrescenta o bailarino. 

A Jam Session integra as comemorações pelo 20 anos da Cia. Municipal de Dança. Uma nova edição está marcada para o próximo dia 18. A intenção é tornar a prática regular, ocorrendo pelo menos duas vezes por mês ou com frequência maior, de acordo com a procura. 

Leia também:
Agenda: Ceva Music Festival ocorre neste domingo, em Bento Gonçalves
Conheça Tauana Stieve, representante de Caxias do Sul na final do Miss Rio Grande do Sul 2018
Produtores de vinho colonial na Serra buscam saída da informalidade


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros