Frei Jaime: como é sem brilho a vida daqueles que não sabem diferenciar o ser do ter - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 

Opinião01/03/2018 | 06h45Atualizada em 01/03/2018 | 06h45

Frei Jaime: como é sem brilho a vida daqueles que não sabem diferenciar o ser do ter

Faz bem aquietar o coração e retomar a gratidão

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

Bom Dia! Amanhece um novo dia e, também, um novo mês! A vida se encontra definitivamente com a normalidade e tudo passa a ter um ritmo adequado. Faz bem aquietar o coração e retomar a gratidão. Temos muito, muito mesmo  a agradecer! Vamos lá que esse mês promete ser muito bom! 

"Desapegar não significa que você não deva ter nada, mas sim, que nada deve possuir você." 

As descobertas humanas, no campo do materialismo, são ainda marcadas pela lentidão e pelo descrédito. A relação com as coisas não alcançaram a necessária claridade, advinda da verdade. O número de prisioneiros do material está em pleno crescimento. Alguns só ‘acordam’ depois de alguns sustos, oriundos da fragilidade da saúde ou de alguma perda irreparável. Outros, porém, seguem anestesiados pela ganância. Acumular tornou-se um ato pleno de normalidade, mesmo que a finitude continue sendo uma visita inadiável.

 Leia mais
Frei Jaime: é imprescindível saber optar entre rir ou chorar, ir ou ficar
Frei Jaime: a vida vai ensinando 
Frei Jaime: o excesso de adjetivos pode maquiar a realidade  

Deixar-se possuir pelos bens materiais é como caminhar sem ter a certeza de estar pisando o chão firme do cotidiano. Algumas coisas são necessárias, sim. Viver suficientemente bem é um direito intrínseco à dignidade, um sonho individual e coletivo, uma busca incessante. Ser prisioneiro do material, fragilizando relacionamentos, comprometendo valiosas amizades, é simplesmente encontrar-se diante da infelicidade, sem a possibilidade de uma segunda chance. O materialismo é realmente envolvente, ao ponto de determinar a ganância como opção normal de prosseguimento da trajetória existencial. 

Como é sem brilho a vida daqueles que não sabem diferenciar o ser do ter: estão sempre insatisfeitos, tentam levar vantagem em tudo, acabam amargurados e estacionados na solidão. O desapego é uma forma inteligente e edificante de estar e passar por este mundo. Uma urgente reorganização das escolhas e dos sentimentos poderá auxiliar na realização de muitos sonhos, incluindo a possibilidade de uma vida mais livre e leve. Sem radicalismos, um passo de cada vez, de mãos dadas com a paz, agradecendo a possibilidade de viver e fazer escolhas: isso se chama felicidade. Viver é muito bom. Bênçãos! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraço!  


 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros