Direto da China: caxiense conta como foi participar de encontro de aquarelistas no país asiático - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 

Artes plásticas07/03/2018 | 09h43Atualizada em 07/03/2018 | 09h43

Direto da China: caxiense conta como foi participar de encontro de aquarelistas no país asiático

Artista foi um dos sete estrangeiros convidados para o evento

Direto da China: caxiense conta como foi participar de encontro de aquarelistas no país asiático Carol Lovato/Divulgação
Durante 12 dias, Giacomin visitou povoados no interior do país e cumpriu agenda de atividades com outros artistas estrangeiros e locais Foto: Carol Lovato / Divulgação

Antonio Giacomin fala com entusiasmo de sua mais recente incursão internacional. Artista respeitado, ele acaba de voltar de uma temporada na China, onde participou do 2018 Yunnan International Watercolor Plein Air, que reuniu mais de 80 aquarelistas no país asiático para, como o nome diz, pintar ao ar livre em diversos locais da província de Yunnan. Foram 12 dias de descobertas e contato com uma cultura que chama a atenção, segundo ele, pela educação, pela organização e pela valorização da arte.

– A história da aquarela na China é muito antiga, e o país também é bastante avançado na aquarela contemporânea – afirma.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 26/02/2018. Artista Antônio Giacomin acaba de voltar de uma viagem para a China. (Diogo Sallaberry/Agência RBS)
Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Giacomin foi um dos sete estrangeiros convidados pelo festival, que também contou com dois norte-americanos, um russo, um italiano, um australiano e um moldávio. Com todas as despesas custeadas pelo governo local, o grupo cumpriu uma programação que incluiu visitas a pequenas comunidades onde eram realizadas sessões coletivas de pintura sob o olhar atento dos habitantes. Além dos estrangeiros, a comitiva era formada por outros 80 artistas chineses, que, em grupos menores, se dividiam diariamente entre os povoados, alguns deles de difícil acesso, como um acampamento de mongóis, uma cidadezinha às margens de um dos maiores rios do país ou uma vila a 4 mil metros de altitude. Pura inspiração.

– É um convite natural para se inspirar naquelas paisagens – conta.

Seguindo cada um sua linha de trabalho, puderam mostrar seus olhares sobre os locais por onde passaram. Por ser uma região fortemente agrícola, o grupo passou por diversas plantações, que acabaram sendo retratadas nas aquarelas de Giacomin. Tudo muito colorido.

Outro aspecto que chamou bastante a atenção de Giacomin foi a culinária, baseada em grãos e legumes e bastante condimentada. O chá está presente em diversos momentos do dia e demanda um ritual próprio. No encerramento, todos os participantes realizaram uma pintura coletiva e, ao final, trocaram trabalhos entre si. Giacomin também deixou algumas telas para o museu local. Além dele, viajou para a China sua mulher e manager, Carol Lovato.

Exposição
Antonio Giacomin prepara para novembro uma exposição na Galeria Municipal de Arte Gerd Bornheim que terá como temática a infância dele.

Leia também:
Agenda: Mostra "Onde a Amazônia Começa e o Nordeste Termina" pode ser conferida até o próximo domingo
3por4: Pane & Salute promove encontro gastronômico nesta quarta 
Prepare uma deliciosa torta de oreo
Meu emprego é um sonho: conheça histórias de pessoas que têm um trabalho de fazer inveja

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros