Berna Reale participa de aula inaugural dos cursos de Artes Visuais da UCS, em Caxias do Sul, nesta quarta - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 

Trajetória reconhecida28/03/2018 | 08h00Atualizada em 28/03/2018 | 08h00

Berna Reale participa de aula inaugural dos cursos de Artes Visuais da UCS, em Caxias do Sul, nesta quarta

Artista paraense é um dos principais nomes da arte contemporânea hoje

Berna Reale participa de aula inaugural dos cursos de Artes Visuais da UCS, em Caxias do Sul, nesta quarta Berna Reale/Divulgação
Na performance "Cantando na Chuva", artista propõe reflexão entre poder e p miséria Foto: Berna Reale / Divulgação

— Todo artista que vive no seu tempo procura fazer um trabalho que tenha um alcance no pensamento social e que as pessoas reflitam sobre o momento que elas vivem.

Figurando entre os principais nomes da arte contemporânea brasileira atualmente, com destaque nacional e internacional, Berna Reale é a convidada da aula inaugural dos cursos de Artes Visuais da Universidade de Caxias do Sul, nesta quarta-feira (28). A partir das 20h, no auditório do Campus 8, a paraense ministra a palestra Processo Criativo: A Importância dos Erros, na qual conta sua trajetória como artista e ressalta não apenas a obra como objeto final, mas como resultado de um processo reflexivo de acertos e erros, no qual todas as etapas são importantes. A entrada é franca.

Nascida em 1965, Berna ingressou nas artes como ceramista, fazendo instalações e objetos de cerâmica. Um convite para fazer uma instalação no Mercado Municipal de Carnes de Belém foi a oportunidade para mudar o foco de sua produção. Na ocasião, colocou dentro dos boxes de venda de carne fotografias de vísceras humanas obtidas a partir de cadáveres do Instituto Médico Legal (IML).

(Quis) Pensar nesse mercado como o grande estômago do ser humano, onde se convive com a fatura e com a miséria — diz em um vídeo sobre ela publicado no canal do Sesi no YouTube em razão de ter sido uma das contempladas pelo 5º Prêmio CNI Sesi Senai Marcantonio Vilaça.

Seu envolvimento com a arte levou-a a se tornar perita criminal do Centro de Perícias Científicas do Estado do Pará, em 2010, a fim de aproximá-la de questões significativas à sua produção. Sempre críticas e polêmicas, suas instalações e performances têm como objeto reflexivo as problemáticas que se manifestam nas relações de poder e conflitos sociais, com especial ênfase na temática da violência.

— A vida real com se apresenta alimenta meu lado de ser humano. Não gosto de me afastar da realidade, porque o meu trabalho fala do presente — pondera.

Talvez um de seus trabalhos mais impactantes seja Quanto Todos Calam (2009), em que a artista aparece, nua, deitada sobre uma mesa forrada com uma toalha de renda branca instalada no mercado Ver-O-Peso. A imagem também revela dezenas de urubus, atraídos pela carne crua distribuída em cima do corpo.

— Foi uma imagem meio que surreal. Fala de como nós estamos expostos, como nós estamos servidos aos abutres — analisa.

Em outra performance, Cantando na Chuva (2014), Berna desfila com um figurino dourado sobre um tapete vermelho estendido no lixão da capital paraense tendo como trilha o clássico Singing in the Rain, eternizado no filme protagonizado por Gene Kelly, em 1952.

— É o poder desfilando. O Brasil é um país rico, mas ao redor existe uma pobreza, uma miséria muito grande — reforça.

Em 2015, Berna Reale representou o Brasil na 56ª Bienal de Veneza.

Agende-se
:: O quê:
aula inaugural dos cursos de Artes Visuais da UCS, com a artista Berna Reale.
:: Quando: hoje, às 20h.
:: Onde: Campus 8 (Avenida Frederico Segala, 3.099, Samuara, Caxias do Sul).
:: Quanto: entrada franca. Inscrições antecipadas no site https://goo.gl/E7m3vT ou na hora.

Leia mais
3por4: Lugano, de Gramado, lança linha de chocolates com Bella Falconi
Exposição "Caixas de Memórias" ocorre até dia 27 de abril, em
Caxias
Na cozinha: aprenda a fazer tapioca de frango com espinafre

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros