Frei Jaime: precisamos de tão pouco - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 

Opinião10/02/2018 | 07h00Atualizada em 10/02/2018 | 07h00

Frei Jaime: precisamos de tão pouco

¿Precisamos de tão pouco para sermos felizes. O problema é que precisamos de muita experiência para compreendermos isso.¿ 

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

 Bom Dia! O sábado é marcado pelo bom-humor de todos... Todos gostam do sábado, por ser mais leve... por intensificar a proximidade daqueles  que queremos bem, por mostrar que a vida não se resume somente em trabalhar. Que este sábado seja abençoado! 

Leia mais:
Frei Jaime: os humildes são portadores de algo a mais, eles inspiram
Frei Jaime: do melhor, o pior

As diversas formas de aprendizado enriquecem a vida. O passar dos dias oportuniza contatos, leituras, imagens, reflexões: quanta riqueza intelectual e emocional se encontra, a todo instante, com a existência humana. O sonho de uma vida mais leve e livre está na dependência de alguns ‘ajustes’: a diminuição e/ou extinção da ganância, a erradicação do individualismo, o incentivo ao voluntariado e a convicção em relação aos benefícios da solidariedade, sem esquecer do cultivo da espiritualidade. Para ser feliz não há necessidade de estar sempre com o passaporte em mãos, nem com uma sobrecarga de compromissos sociais. Luzes e holofotes são dispensáveis, quando a interioridade está em paz. A vida, por muito tempo, ficou alicerçada praticamente sob a questão da quantidade. 

Era necessário ter bastante, ao ponto de perder de vista a noção de valor. O tempo é um ‘professor’ paciencioso, não cobra a lição de casa, simplesmente aguarda pelo momento certo: a apresentação da síntese que se chama ‘experiência’. O maior de todos os aprendizados não resulta da escuta, nem do exercício dos neurônios. Quando a vida é tocada pelo realismo, quando as conclusões são geradas por um misto de dor e de alegria, o aprendizado deixou de ser uma utopia para fazer parte do cotidiano. Somente depois de muita experiência é possível entender que não há necessidade de acumular determinadas coisas, nem possuir em excesso. A leveza da vida é uma escolha que se opõe à cultura do consumo excessivo e inconsequente. Ninguém será eternizado por possuir muito. 

Certamente não ficarão no esquecimento aqueles que tiverem compreendido o significado da bondade e da solidariedade. Que os dias sejam de muita paz, que o coração se encante pela simplicidade e que o amor inspire os melhores sonhos. Bênçãos! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraços!     

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros