Frei Jaime: os únicos que se arrependem de ajudar são aqueles que esperam aplausos - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 

Opinião 14/02/2018 | 07h15Atualizada em 14/02/2018 | 16h24

Frei Jaime: os únicos que se arrependem de ajudar são aqueles que esperam aplausos

O amor não quer nada em troca, simplesmente ama

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

Bom Dia! O carnaval passou... amanhece silenciosamente a Quarta-Feira de Cinzas, dia de jejum e de abstinência de carne, início da Quaresma e da Campanha da Fraternidade. As cinzas que vamos receber recordam que viemos do pó e para o pó retornaremos. Por isso, de nada adianta o orgulho: fisicamente todos terminarão, um dia! Que a humildade seja a companheira desses 40 dias que antecedem a Páscoa.

"Pode ser que ninguém nunca reconheça o bem que você já fez, mas você sempre dormirá com seu coração em paz." (Vavá). 

Um sono tranquilo devolve as forças, equilibra o ânimo, reaviva a esperança. Algumas pessoas descuidam do sono. Certamente, cedo ou tarde, terão que administrar e tratar sintomas. Há, no entanto, um ingrediente que contribui para que o coração não perca a paz: o bem realizado. Ninguém se arrepende de fazer o bem. Os únicos que se arrependem de ajudar alguém são aqueles que fazem boas obras, mas aguardam por aplausos e reconhecimentos. Não são poucas as pessoas que decidem não estender mais a mão aos necessitados. Quando o amor não é a motivação maior, as decepções se avolumam. O amor não quer nada em troca, simplesmente ama. Continuar fazendo o bem, independente de retornos, é uma atitude louvável. O coração se enche de paz ao ver a alegria daqueles que foram beneficiados por pequenos gestos. 

Leia mais
Frei Jaime: acumule o que clareia a alma, ilumina o sorriso e perfuma a vida
Frei Jaime: pequenas permissões abrem espaços para grandes invasões  

Dormir com o coração e a consciência em paz é o melhor sono, a melhor recompensa. Como é importante descobrir qual a finalidade de estar neste mundo. Alguns pensam somente em si, outros não cansam de acumular coisas; há também os eternamente insatisfeitos: nada serve, tudo tem defeito. É importante dar-se conta de que os dias passam e não voltam. Fazer o bem é uma escolha inteligente e realizadora, uma oportunidade ímpar de conhecer e saborear o significado pleno da felicidade. Não são necessárias coisas materiais para fazer o bem. Pequenos gestos de atenção e consideração são suficientes para tornar o dia da outra pessoa infinitamente alegre. 

Esperar ser reconhecido pode tornar-se numa fonte de decepções e angústias. Há famílias desunidas por falta de reconhecimento, amizades rompidas por retornos que nunca chegaram, silêncios ‘gritantes’ pela ausência de um simples obrigado. Bom mesmo é nunca esperar nada em troca. Faz bem fazer o bem: o sono sempre será tranquilo e restaurador. 

Bênçãos! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraços!



 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros