Frei Jaime: aprumando as asas  - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 

Opinião 15/02/2018 | 06h30Atualizada em 15/02/2018 | 08h20

Frei Jaime: aprumando as asas 

"E sempre quando amanhece recolho meus sonhos, aprumo minhas asas e vou ser feliz."

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

Bom Dia! Os dias passam... os pensamentos são insistentes... a vida é feita de recomeços... Entrar novamente no ritmo é maravilhoso, é único! Temos tanto para agradecer... Claro, algumas coisinhas poderiam ser diferentes.... Mas é sempre possível dar um jeito! Vamos lá! 

Leia mais
Frei Jaime: acumule o que clareia a alma, ilumina o sorriso e perfuma a vida
Frei Jaime: pequenas permissões abrem espaços para grandes invasões   

 "E sempre quando amanhece recolho meus sonhos, aprumo minhas asas e vou ser feliz." (Cidinha Araújo). 

Dia e noite alternam momentos, sentimentos e provocam atitudes. Há um tempo para a luz do sol, outro tempo para a quietude da noite. As alternâncias fazem parte da pauta diária de todos. Ninguém passa o dia sorrindo, muito menos chorando. Os intervalos permitem que a vida seja marcada pela normalidade. O certo é que existe um tempo para tudo. Administrar esse tempo não é difícil, só um pouco exigente. 

O embalo inicial para o tempo disponível acontece no amanhecer. Todos os dias é preciso recolher os sonhos, acondiciona-los harmoniosamente na bagagem que agrupa os sentimentos que acompanham os dias. Ninguém deveria esquecer os sonhos em casa. Independe do lugar e dos caminhos, é necessário carregar consigo tudo o que faz caminhar, desperta a esperança e enche o coração de certeza. Os sonhos não pesam e nem ocupam espaços, mas não podem ficar na gaveta da mesa e nem no baú. Se o dia clareou, é importante aprumar as asas e retomar o endereço da felicidade. 

Em alguns momentos os voos deverão ser rasos; em outros, o limite será o infinito. A opção menos significativa é não voar. Tem pessoas que decidem não voar. Elas acabam se encontrando, chegam tomar um café juntas, mas não levantam voo. Outros abrem as asas, mas se enchem de desculpas e voltam ao estado anterior. Nem sempre o vento será favorável, sem contar que podem surgir algumas tempestades. 

Mesmo assim, é muito importante voar. Uma revoada sobre os problemas, a rotina, as contradições e decepções pode fazer a diferença. Diariamente é importante ensaiar alguns voos. Aprumar as asas não é difícil, requer só um pouco de sabedoria. A paciência é um ótimo combustível. A persistência rompe tornados e espanta redemoinhos. Saudades dos voos da infância, quando a imaginação transportava para 'lugares' indescritíveis. Bênçãos! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraços!   

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros