Drama argentino "Ninguém está Olhando" estreia em Caxias nesta quinta - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 

Cinema21/02/2018 | 09h37Atualizada em 21/02/2018 | 09h41

Drama argentino "Ninguém está Olhando" estreia em Caxias nesta quinta

Filme fica em cartaz até o dia 4 de março, na sala Ulysses Geremia

Drama argentino "Ninguém está Olhando" estreia em Caxias nesta quinta Vitrine Filmes/Divulgação
Foto: Vitrine Filmes / Divulgação

O sonho da vida exitosa no exterior é pano de fundo para a história de Ninguém está Olhando, longa argentino que estreia nesta quinta-feira na Sala de Cinema Ulysses Geremia, em Caxias. Mas não se trata somente de narrar os perrengues comuns a qualquer estrangeiro – especialmente um latino – vivendo nos Estados Unidos. O protagonista Nico (interpretado por Guillermo Pfening) é também um estrangeiro de si, fugindo das possibilidades que estavam a seu alcance na terra natal e dando um pulo no escuro em um horizonte novo e, muitas vezes, hostil. 

A apresentação do protagonista nos primeiros 15 minutos de filme resume a situação dele como habitante de Nova York: um visto quase espirando, um sofá alugado no apartamento de uma amiga e dois empregos como babysitter e garçom. Uma despedida traumática na Argentina também surge na telona para alertar o espectador sobre as possíveis motivações para a incursão americana de Nico. Logo se descobre que ele é, na verdade, um ator que largou o elenco de uma série de sucesso na tevê para tentar novos projetos nos Estados Unidos, principalmente ligados ao cinema.

O roteiro – escrito pela diretora em parceria Christina Lazaridi – também aborda a pressão por sucesso que acompanha todos que deixam sua terra natal para tentar algo em outro lugar. Seja por parte dos familiares ou dos amigos, há sempre uma cobrança para que se realize grandes feitos quando se está longe de casa. É como se ao resolver tentar a sorte em outra cidade ou país você se comprometesse em alcançar o êxito a qualquer preço. E se as coisas não caminharem exatamente da melhor forma, você terá que dar um jeito de parecer ótimo mesmo assim.

Em princípio, Ninguém está Olhando sugere certa leveza ao mostrar os macetes (alguns um tanto desonestos) usados por Nico para garantir o sustento de cada dia. Mas a medida que a história vai avançando, a condição estrangeira do personagem ganha um contexto maior. Mesmo rodeado por conhecidos e dispondo de muito talento para se dar bem, o protagonista vai ficando cada vez mais sozinho. Há um constrangimento presente em quase todas as situações vividas por ele, sugerindo que talvez ele pertença a aquele lugar. Aqui mora uma das mensagens mais bacanas do filme, afinal, a superação do imigrante que chega sem nada e conquista o sucesso com seu suor não compõe a maioria das histórias comuns. Às vezes, demora para que se entenda que as maiores mudanças precisam acontecer primeiro internamente. Essa jornada mais introspectiva confere o molho saboroso do filme.

Veja o trailer:

Programe-se:
:: O quê: drama Ninguém está Olhando, de Julia Solomonoff.
:: Onde: Sala de Cinema Ulysses Geremia, no Centro de Cultura Ordovás (Luiz Antunes, 312).
:: Quando: estreia nesta quinta e fica em cartaz até 4 de março, com sessões de quinta a domingo, às 19h30min.
:: Quanto: R$ 10 (geral) e R$ 5 (estudantes, idosos e servidores municipais).
:: Duração: 101min.
:: Classificação: 14 anos.

Leia também:
Projeto de mãe e filho, banda caxiense Rádio Kaza Jardim lança álbum de estreia nesta sexta-feira, em Caxias do Sul
Agenda: "Os Smurfs e a Vila Perdida" tem exibição gratuita nesta quarta, em Caxias
Frei Jaime: viver é o que existe de melhor 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros