Museu na Linha Jansen, em Farroupilha revela hábitos e costumes da Suécia, trazidos à região pelos imigrantes - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 

Olhar à cultura sueca05/01/2018 | 15h00Atualizada em 05/01/2018 | 15h00

Museu na Linha Jansen, em Farroupilha revela hábitos e costumes da Suécia, trazidos à região pelos imigrantes

O lugar, que pode ser visitado de segunda a segunda sob agendamento, serve também como passeio para aqueles que desejam conhecer um pouco mais da manufatura das cordas

Museu na Linha Jansen, em Farroupilha revela hábitos e costumes da Suécia, trazidos à região pelos imigrantes Carlos Macedo/Agencia RBS
Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

Uma antiga fábrica de cordas, construída em meados de 1947, cultiva de forma afetuosa a história de uma família. A Casa da Cultura Sueca, hoje transformada em museu turístico na Linha Jansem, em Farroupilha, é comandada pela família de Vilma Lourdes Bohn Tasca desde a sua construção. 

– A casa começou com o meu avô. Eles não eram como os italianos, que tinham talento para a terra. Só sabiam fazer cordas. Na Suécia, eles já tinham uma fábrica, desde 1847. Em 1890 construíram outra, que está lá até hoje. Quando vieram para o Brasil, era só o que sabiam fazer. Então, quando o meu avô tinha 12 anos, começou a ajudar. E depois dele o meu pai, e assim por diante – conta a professora aposentada de 67 anos. 

O lugar, que pode ser visitado de segunda a segunda sob agendamento, serve também como passeio para aqueles que desejam conhecer um pouco mais da manufatura das cordas, no Museu do Linho. Ali, é possível acompanhar desde a semeadura do linho até a confecção do barbante, além da maneira como são extraídas a fibra, a linhaça e a semente. Se o visitante gostar, pode afiar e confeccionar a sua própria linha, e levar para casa.

 FARROUPILHA, RS, BRASIL, 01-12-2016: Gentes e Lugares do RS. Museu Sueco. Dona Wilma é responsável pela Svenska Kulturhuset, a casa da cultura sueca no Rio Grande do Sul. Fica na Linha Jansen, interior de Farroupilha, na divisa com Pinto Bandeira, na Serra. Todos os meses ela reúne descendentes de imigrantes para manter viva as tradições suecas no RS.  Os imigrantes chegaram aqui por volta de 1890. Hoje estão espalhados pelo Estado. (CARLOS MACEDO/AGÊNCIA RBS)
Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

A história é resgatada a cada cômodo, assim como a da família Bohn. O pai de Vilma, Oscar José João Bohn, falecido em 2002, foi o responsável por manter viva a memória de pais e avôs. Hoje, Vilma cumpre o mesmo objetivo com prazer:

– Meu pai acreditou muito nesse lugar. Seria uma pena jogar fora agora tudo o que ele preservou.

 FARROUPILHA, RS, BRASIL, 01-12-2016: Gentes e Lugares do RS. Museu Sueco. Dona Wilma é responsável pela Svenska Kulturhuset, a casa da cultura sueca no Rio Grande do Sul. Fica na Linha Jansen, interior de Farroupilha, na divisa com Pinto Bandeira, na Serra. Todos os meses ela reúne descendentes de imigrantes para manter viva as tradições suecas no RS.  Os imigrantes chegaram aqui por volta de 1890. Hoje estão espalhados pelo Estado. (CARLOS MACEDO/AGÊNCIA RBS)
Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

Depois da visita, uma boa opção é aproveitar o café colonial que o espaço oferece. A comida, claro, é típica da culinária sueca. Waffles, receitas com geleia, frutas, bolo de chocolate com natas batidas e morango, framboesas e amoras estão entre as guloseimas. O cardápio oferece também o tradicional pão seco sueco (uma variante do pão sem fermento, feito de forma integral). Mas, segundo Vilma, o queridinho da casa, em termos culinários, é o famoso sanduíche aberto.

– Fazemos o sanduíche com uma fatia de pão e colocamos o recheio por cima. Botamos creme com ovos e maionese, depois incrementamos com presunto, queijo, tomate cereja e tomate seco. Também usamos salmão, às vezes. As pessoas adoram – conta. 

Vilma comanda hoje a Casa sozinha e, por isso, alega não ter condições de estar a todo o momento no local, porque reside atualmente no município de Pinto Bandeira. 

O passeio pela casa dura entre 1h30min a 2h. 

PROGRAME-SE

O quê: Casa da Cultura Sueca, em Farroupilha.
Onde: Linha 47, s/n.
Quando: todos os dias, mediante agendamento.
Quanto: R$ 2 por pessoa (escolas) e R$ 5 (público em geral).


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros