Chileno Cristian Beltrán apresenta "O Ninguém", em Caxias - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

Teatro07/12/2017 | 09h09

Chileno Cristian Beltrán apresenta "O Ninguém", em Caxias

Espetáculo é baseado em preceitos da commedia dell¿arte

Chileno Cristian Beltrán apresenta "O Ninguém", em Caxias Pedro Nora/Divulgação
Foto: Pedro Nora / Divulgação

O teatro popular é o lar artístico de Cristian Beltrán. Primeiro, ele buscou formação acadêmica na área, realizada no Chile, seu país natal. Agora, o objetivo é rodar a América Latina para exercitar a observação e entender qual tipo de arte se produz em cada lugar. 

Tudo isso servindo de inspiração para aprofundar o formato de comunicação popular que ele busca. Vivendo há dois anos em Caxias e há quatro no Brasil, o ator conta que o espetáculo O Ninguém tem tudo a ver com sua experiência no país. O monólogo terá apresentações em Caxias do Sul amanhã, sábado e domingo, no teatro Moinho da Cascata.

– Embora tenha trabalhado muito sério no texto para torná-lo universal, vejo que tem muito a ver com o Brasil e com Caxias, pois observo que a diferença entre as classes por aqui é muito forte – comenta Beltrán.

Os abismos que separam as classes sociais são, justamente, a temática que o ator busca em cena. No palco, Beltrán vive quatro personagens, entre eles, o protagonista Tonto. Ele está sendo perseguido e não sabe a razão.

– É uma fotografia sobre os comportamentos sociais e sobre o quão abandonados estamos – adianta.

Além de Tonto, Cristian também dá vida ao Inspetor (aquele que persegue), ao dono do mundo Raimundo (aquele manda perseguir) e ao Santo Jaime, uma representação do mundo espiritual. 

A diferenciação entre cada personagem é também reforçada pelo uso de máscaras, que fazem alusão a conceitos da commedia dell’arte.

– Apesar de usar esses estereótipos da commedia dell’arte, O Ninguém não é uma comédia, só se for uma comédia trágica – pondera Beltrán, que também buscou referências na poesia de sua terra natal por meio da obra de artistas como Violeta Parra e Victor Jara.

Beltrán se envolveu em todas os processos do espetáculo, assinando o roteiro, os figurinos e até mesmo a trilha (com produção de Beto Scopel) de O Ninguém. 

– Quero mostrar o ator  como a pessoa que constrói o todo – justifica Beltrán.

A direção, no entanto, ficou por conta do cineasta Pedro Nora, que aceitou o desafio de conceder uma "visão mais cinematográfica" à peça.

Agende-se

O quê: espetáculo de teatro de máscaras O Ninguém.

Quando: neste sexta, sábado e domingo, sempre às 21h.

Onde: Moinho da Cascata, na sede grupo Ueba (Rua Luis Covolan, bairro Santa Catarina).

Quanto: ingressos antecipados a R$ 20, à venda na Do Arco Da Velha Livraria e Café. Artistas, estudantes e idosos pagam R$ 10.

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros