Beto Bruno e Chaise Brothers trazem show de rock sessentista ao Mississippi Delta Blues Bar nesta quinta-feira - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 

Fora da matilha21/12/2017 | 09h00Atualizada em 21/12/2017 | 09h00

Beto Bruno e Chaise Brothers trazem show de rock sessentista ao Mississippi Delta Blues Bar nesta quinta-feira

Vocalista da Cachorro Grande reencontra os amigos de velha data em apresentação marcada para as 22h

Beto Bruno e Chaise Brothers trazem show de rock sessentista ao Mississippi Delta Blues Bar nesta quinta-feira Charles Guerra/Agencia RBS
Amizade de Beto Bruno com os irmãos Chaise vem desde a adolescência em Passo Fundo. Reencontro no Natal é sagrado Foto: Charles Guerra / Agencia RBS

Natal é a oportunidade que muitos encontram para visitar a família e reencontrar amigos. Para o vocalista da Cachorro Grande, Beto Bruno, não é diferente. A cada ano, o gaúcho radicado em São Paulo tem nas festas de fim de ano a oportunidade de retornar para Passo Fundo e rever alguns dos amigos que participaram da sua formação roqueira, como os irmãos Maurício Chaise e Rodrigo Chaise, os mais velhos do power trio Chaise Brothers. Reunidos, o cantor e os irmãos aproveitam para subir ao palco em shows como o que o Mississippi Delta Blues Bar recebe nesta quinta-feira, na primeira incursão de Beto na cidade sem a banda que o consagrou. 

Além de Rodrigo e Maurício, Gustavo Chaise completa o grupo que saiu da região norte do Estado rumo à Capital, onde se divide em diversas bandas da cena regional, como Locomotores, Dinartes, Rabo de Peixe e Severo em Marcha. A junção é uma forma de descontrair tocando covers das bandas sessentistas que mais os influenciaram, como The Beatles, The Rolling Stones, The Who e Cream, além dos Mutantes. Desta vez, os irmãos contam com o ex-colega de escola assumindo os vocais e prometendo a performance cheia de energia que caracteriza a banda que em março do ano passado abriu o show dos Stones em Porto Alegre. 

NA FOTO: Banda Chaise Brothers
Chaise Brothers em açãoFoto: Felipe Gaieski / Divulgação

– Nós estudamos juntos por uns três ou quatro anos e sempre, lá pelos idos da Copa de 82, e mantivemos essa amizade. Com o Maurício, cheguei a montar uma banda, a Malvados Azuis, que tinha músicas próprias e durou até eu ir para Porto Alegre e montar a Cachorro Grande. Mas nunca deixamos de tocar juntos e de fazer esses “revivals”, sempre no Natal. Como tínhamos essa data sagrada marcada em Passo Fundo e eu não tinha nada para os dias anteriores, o Maurício agendou esse show em Caxias e outro em Panambi. É um jeito da gente se ver e se divertir juntos – destaca Beto Bruno. 

Se é verdade que o show desta quinta não deve ter os hits que fizeram a Cachorro Grande uma das bandas gaúchas mais bem-sucedidas além das fronteiras do Rio Grande, os fãs podem ficar tranquilos em relação ao futuro da Cachorro Grande. Em abril de 2018, o grupo irá lançar o primeiro álbum ao vivo (a previsão inicial era novembro deste ano, mas foi estrategicamente adiado pela gravadora). 

– Nesse tempo todo, a gente nunca tinha parado para ouvir a banda ao vivo. E posso dizer que ficou uma pauleira, muito mais selvagem que a versão dos discos. Estamos muito felizes com o resultado – adianta o vocalista. 

Ainda no ano que vem, Beto não descarta o lançamento de um novo disco de músicas inéditas. Em 2019, o aniversário de 20 anos será comemorado com um documentário em longa-metragem.

Programe-se

— O quê: show de Beto Bruno & Chaise Brothers
— Quando: hoje, às 22h
— Onde: Mississippi Delta Blues Bar, em Caxias do Sul
— Quanto: R$ 20.

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros