Nesta quinta-feira, tem Quinta Sinfônica no UCS Teatro, em Caxias do Sul - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

Música09/11/2017 | 07h30Atualizada em 09/11/2017 | 07h30

Nesta quinta-feira, tem Quinta Sinfônica no UCS Teatro, em Caxias do Sul

Solista da noite será o violoncelista Diego Schuck Biasibetti

Nesta quinta-feira, tem Quinta Sinfônica no UCS Teatro, em Caxias do Sul Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Violoncelo de Biasibetti é destaque frente a instrumentos de sopro, numa das três obras que serão apresentadas durante o concerto Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS
Maristela Scheuer Deves
Maristela Scheuer Deves

maristela.deves@pioneiro.com

Diferente. Divertida. Com uma sonoridade que remete ao jazz, ao rock e às músicas populares austríacas, numa mistura sonora cativante. Assim o maestro Manfredo Schmiedt e o violoncelista Diego Schuck Biasibetti — solista convidado da edição deste mês do Quinta Sinfônica — descrevem Concerto para Violoncelo e Orquestra de Sopros, de Friedrich Gulda, uma das peças do concerto que a Orquestra Sinfônica da UCS (Osucs) apresenta nesta quinta-feira à noite, no UCS Teatro, em Caxias do Sul.

— É uma peça muito divertida de se ouvir — garantem os dois.

O motivo, explica Schmiedt, é justamente o inusitado da composição, com jeito de improviso _ mas, na realidade, um "improviso" muito bem pensado. Biasibetti acrescenta que essa mescla de gêneros, repleta de mudanças do rumo sonoro e que foge totalmente ao estilo clássico ("é mais ao estilo big band"), não é tão fácil como pode parecer:

— Para quem toca, ela apresenta grande dificuldade técnica.

Leia também:
3por4: Os Fagundes são atração de um jantar dançante no dia 24 de novembro, em Caxias
Mostra "Retratos da Alma", de Ilka Filippini, pode ser conferida em Caxias do Sul

Além do instrumento de corda frente à orquestra de sopro, a peça do vienense Gulda (1930-2000) traz instrumentos não tão comuns em uma orquestra, como o violão, o baixo elétrico e a bateria, diz o maestro. Flauta, fagote, trombone, tuba, trompas, trompetes, oboés e clarinetes completam a lista de instrumentos desse Concerto.

A penúltima edição do ano do Quinta Sinfônica, comemorativa aos 60 anos do Curso de Enfermagem da UCS e aos 180 anos da Brigada Militar, terá ainda outras duas obras, igualmente de compositores do Século 20 e com destaque aos instrumentos de sopro e percussão.

— Os instrumentos de sopro são geralmente instrumentos solistas, com apenas um de cada na orquestra. Nas peças que vamos apresentar, eles aparecem combinados — salienta Schmiedt.

Assim, em Choros Nº. 7 "Settimino", do brasileiro Heitor Villa-Lobos, cinco dos sete instrumentos utilizados são de sopro _ flauta, oboé, clarinete, sax e fagote, que se combinam a violino e violoncelo (mais um tantan, fora do palco, no finalzinho). Já Old wines in new bottles, do compositor inglês Gordon Jacob, traz os instrumentos aos pares: duas flautas, dois oboés, dois clarinetes, dois fagotes, duas trompas e dois trompetes.

Biasibetti, que será solista na peça de Gulda, é violoncelista da Osucs, primeiro violoncelo na Orquestra Unisinos-Anchieta e regente assistente da Osucs.

Agende-se

O que: concerto Quinta Sinfônica, com a Orquestra Sinfônica da UCS.

Quando: nesta quinta-feira, às 20h30min.

Onde: no UCS Teatro, no campus sede da UCS, em Caxias do Sul.

Quanto: os ingressos variam de R$ 10 a R$ 40, com meia-entrada para estudantes e idosos, à venda na Loja UCS Store (Galeria Universitária) e na Livraria do Maneco (Centro).

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros