Frei Jaime: Um jeito leve de viver - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

Opinião24/11/2017 | 08h28Atualizada em 24/11/2017 | 08h28

Frei Jaime: Um jeito leve de viver

Uma parte significativa do tempo acaba direcionada à conquista daqueles bens que satisfazem as necessidades básicas

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

Estar sempre em busca de algo melhor, faz parte da dinâmica humana. A vida está destinada ao crescimento, ao aperfeiçoamento e, acima de tudo, à felicidade. Viver é saber lidar com essa inquietude que desinstala, provoca e movimenta. 

"Se você não é feliz com tudo que tem, não será feliz com tudo que lhe falta."

Uma parte significativa do tempo acaba direcionada à conquista daqueles bens que satisfazem as necessidades básicas. É bem verdade também que é possível viver com pouco. Por outro lado, é urgente agradecer 'esse pouco', vibrar com a conquista, sentir-se privilegiado por ter alguma coisa. Não há nenhuma garantia de que a felicidade será maior, quando for conquistado o que ainda falta. 

A maior parte das pessoas fixa o olhar no que gostaria de ter e não tem. O que já foi adquirido parece não impactar decisivamente, ao ponto de deixar no esquecimento aquilo que muitos gostariam de ter. O que falta é uma possibilidade de complemento da felicidade, mas não é uma garantia. O ideal seria ter um coração agradecido e não apenas se acomodar com o pulsar da insatisfação. 

Viver com mais gratidão pode ser uma opção inteligente, um caminho mais leve, uma alternativa mais eficaz. Sempre faltará alguma coisa. Faz bem recordar que algumas necessidades não têm sustentação, não são realmente necessidades. Podem acrescentar, retocar, mas sem as quais é totalmente possível dar conta alegremente da existência. 

É necessário distribuir melhor o tempo e os pensamentos: agradecer mais e lamentar menos. Muitos adotaram essa postura e não desejam voltar atrás. 

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros