Frei Jaime: Não abrir mão da verdade - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

Opinião16/11/2017 | 08h34

Frei Jaime: Não abrir mão da verdade

Quando uma sociedade se acostuma com a mentira, naturalmente perde sua essência

A busca pela verdade jamais deveria ser interrompida. O humano tem um pacto intrínseco com a verdade, pois sem ela é impossível viver a liberdade. Através da verdade, a vida experimenta a leveza, se encontra com a transparência e se abraça com a felicidade. 

"Nem todas as verdades são para todos os ouvidos." (Umberto Eco)

Quando uma sociedade se acostuma com a mentira, naturalmente perde sua essência. Uma pessoa sincera é uma preciosidade. Porém, nem todas as verdades são para todos os ouvidos. Em alguns momentos, determinadas pessoas preferem não ouvir a verdade, são capazes até de transformar a mentira em verdade, escondendo-se atrás da superficialidade, não dando conta do vazio das palavras, que em nada contribuem. 

A verdade não pode ser omitida. Porém, há um momento certo e adequado para verbalizar determinadas verdades. Não são poucos aqueles que já perderam amigos unicamente pelo desejo de serem sinceros. 

Como seria importante acolher humildemente a verdade que o outro tem a dizer. Poderá até haver um desconforto, mas somente a verdade será capaz de acomodar determinados sentimentos e de resgatar as melhores atitudes. Não querer ouvir a verdade, porque ela pode causar algumas dores é o optar por uns minutos de favorabilidade e, depois, amargar dias e mais dias de tristeza. 

Como é importante, desde cedo, treinar os ouvidos para escutar profundamente a verdade, que brota de corações sinceros que desejam o melhor e vibram com os acertos e vitórias. Quem experimenta o sabor da verdade, permanecerá distante do amargo advindo da mentira.  

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros