Frei Jaime: Apesar das fragilidades - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

Opinião22/11/2017 | 08h29Atualizada em 22/11/2017 | 08h29

Frei Jaime: Apesar das fragilidades

Todos nascem com um elenco de qualidades e aptidões

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

Uma das prioridades da vida deveria ser o entendimento da própria vida. Como tudo seria diferente se as pessoas tivessem clareza do que é necessário para dar conta da existência e, acima de tudo, de como direcionar a vida em busca da realização. O ponto de partida é o autoconhecimento: 'quem eu sou?' A humildade é a 'ótica' que favorece o melhor ângulo para enxergar-se e compreender-se. 

"Apesar das minhas fragilidades, avanço." (Lya Luft). 

Todos nascem com um elenco de qualidades e aptidões. Porém, algumas limitações também dividem espaço com os qualificativos. O melhor e o pior podem estar nas profundezas do coração, o bem e o mal disputam lugar. Dar-se conta das fragilidades é uma necessidade, caso contrário o orgulho e a autossuficiência se inflam. 

O desafio é aceitar-se como alguém que tem também defeitos. Quando os outros apontam uma ou mais mazelas, com facilidade a reação é de não aceitação. Quantas amizades foram desfeitas pelo simples fato de acenar para um defeito ou sugerir a superação de atitudes incômodas. 

Sentir-se frágil é o primeiro passo para crescer em busca da superação. A pessoa que se acha perfeita e que não aceita correções fraternas está bem próxima da solidão. Já é tempo de conscientizar-se de que todos os humanos carregam consigo algumas falhas. 

O aperfeiçoamento é o caminho a ser trilhado, para colher muitas alegrias. Independentemente da situação, avançar sempre. Viver é formidável: basta segurar firme na mão da humildade que tudo vai se ajeitando.

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros