Frei Jaime: Surpresas do afeto - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

Opinião20/09/2017 | 08h00Atualizada em 20/09/2017 | 08h00

Frei Jaime: Surpresas do afeto

Cultivar todas as pessoas é ser capaz de doar-se e, ao mesmo tempo, estar aberto para receber

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

O relacionamento é uma necessidade inerente a todos. A interdependência se dá nas pequenas coisas de cada dia, nos mínimos detalhes. Não tem como ser diferente: um precisa do outro. Viver é conviver. 

"Cultive todas as pessoas. As certas vão brotar."

Cultivar todas as pessoas é ser capaz de doar-se e, ao mesmo tempo, estar aberto para receber. Com alguns, a sintonia é maior, com outros é preciso um esforço redobrado. Mas ninguém deveria se omitir na hora de cultivar laços de pertença mútua. Ser igual com todos é um ideal precioso. Alguns seguirão seus caminhos a passos largos, outros deixarão marcas, provocarão saudades. Impossível ser íntimo da grande maioria. Porém, não esquecer-se que o outro é um ser humano é quase uma obrigação. 

A desumanização provoca muitas feridas e ininterruptas dores existenciais. Fazer o bem a todos é fonte de felicidade e de realização. O ato de cultivar respeito e afeto poderá render muitas surpresas, que serão visíveis nos retornos com o melhor dos contornos: a amizade.

 Existem muitas pessoas boas e certas. Estar próximo de tais pessoas é uma oportunidade única, é como absorver luminosidade para espalhar um pouco de claridade nos mais diversos ambientes. Tomara que todos possam partir do princípio da bondade, como algo inato ao ser humano. 

Cultivar a todos na certeza de que as pessoas certas vão brotar. Que este seja um jeito novo de viver. 

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros